Deloitte é o novo parceiro da Apple. Foto: Divulgação.

A Deloitte, a maior entre as grandes empresas de auditoria do mundo, acaba de fechar um acordo com a Apple para criar uma prática focada na plataforma iOS dentro da empresa.

O novo departamento, chamado de EnterpriseNext, terá 5 mil consultores (o mesmo número do total de empregados da empresa no Brasil) focados em projetos de relacionamento com clientes, vendas, serviços de campo, recrutamento, pesquisa e desenvolvimento, administração de estoque e sistemas de backoffice.

"Nossa frente de atuação dedicada à Apple dará às empresas globalmente a experiência e os recursos necessários para capacitar sua força de trabalho e tirar proveito do que o poderoso sistema iOS”, explica Punit Renjen, CEO global da Deloitte. 

A própria Deloitte é uma grande usuária da Apple, com 100 mil dispositivos iOS rodando 75 aplicativos customizados. Ao todo, a consultoria tem 244 mil profissionais.

A Deloitte embarcou na onda da transformação digital em 2010, com aquisição de uma empresa focada em mobilidade. A divisão Deloitte Digital tem hoje 10 mil colaboradores. Só junto com a Apple, a companhia entregou 50 projetos em clientes.

Assim como as outras grandes do ramo de auditoria como PwC, EY e KPMG, a Deloitte vem diversificando sua atuação com serviços focados em tecnologia. No seu último balanço, a empresa citou investimentos para fortalecer a oferta em inteligência artificial, computação em nuvem e Internet das Coisas.

Para a Apple, esse é mais um passo no sentido de cortejar mais ativamente o segmento corporativo, iniciado em 2014 com um acordo com a IBM na área de tecnologia. Parcerias similares já foram fechadas também com Cisco e SAP.

As parcerias são mutuamente benéficas. Companhias de software empresarial se beneficiam da popularidade dos produtos Apple com os usuários finais, que tem se tornado cada vez mais influentes nas decisões corporativas.

Para a Apple, o universo corporativo é uma oportunidade de crescimento, em um momento em que a presença no mundo consumer parece dar sinais de ter chegado ao auge.

No último ano fiscal encerrado em julho, a empresa divulgou ter uma receita de US$ 25 bilhões no segmento corporativo.

Apesar de ser apenas 11% do total, o valor fica um pouco abaixo dos US$ 36.8 bilhões da Deloitte inteira e é maior do que a receita da SAP, que faturou € 20,80 bilhões em 2015.