George Wieck.

George Wieck, advogado atuante no setor de startups e de inovação, acaba de fundar a Pivotar, uma consultoria que se propõe fomentar startups e aproximá-las de empresas tradicionais visando fomentar a cultura de inovação e transformação digital.

Wieck é um dos donos da Costa & Wieck, um escritório de advocacia tradicional de São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre.

O fundador da Pivotar já atua como mentor em diferentes startups, como a Meu Alu, no ramo imobiliário; a Minha Escola, do segmento educacional e a Pix Mídia, do setor de Mídia, além de ser investidor anjo em 10 empreendimentos de base tecnológica.

Wieck também participa do comitê do grupo de investidores do Feevale Techpark, parque tecnológico da Feevale, onde ajuda a selecionar startups para receber investimentos. Wieck é ainda membro da Associação Brasileira de Mentores de Negócios.

“Existe uma lacuna entre o investidor e o empreendedor. Muitas startups não tinham condições plenas para serem apresentadas aos investidores. Por outro lado, as empresas tradicionais sentem dificuldades para conhecer o trabalho executado por startups”, avalia Wieck.

O movimento da Pivotar não acontece no vácuo e reflete o que parece ser uma tendência mais ampla, da qual o exemplo mais chamativo no Rio Grande do Sul até agora é o Instituto Caldeira.

Os 40 fundadores do Caldeira incluem a nata empresarial gaúcha, representada por nomes como Jorge Gerdau Johannpeter, famílias Renner, Ling, Goldzstein e Herrmann, além de empresas tradicionais como Renner, Sicredi, Panvel, Vulcabras Azaleia, Banrisul, RBS, Randon, e da nova economia, como Agibank, 4all, Nelogica, Banco Topázio, SafeWeb, Zenvia, Meta e StartSe.

Toda a ideia é fomentar a aproximação da economia tradicional com startups, em um local a ser inaugurado em breve nas antigas instalações da AJ Renner, em Porto Alegre.