Tel Aviv é um celeiro de startups. Foto: http://www.flickr.com/photos/ronsho/

Um grupo de escritórios de advocacia e empresas de venture capital de Israel, representados no Brasil pela consultoria Station Partners, quer captar US$ 300 milhões de investidores brasileiros para formar um fundo focado no mercado de startups de Israel.

Uma reunião só para convidados para lançar o Israel Global Dynamic Fund, L.P,  está marcada para esta quinta-feira, 07,  no Espaço Vitória do Jockey Club Brasileiro do Rio de Janeiro.

O fundo está rodeado do mistério típico das operações do gênero: questionados, os organizadores do evento não revelam qual é a participação mínima ou quem são os investidores até agora, apenas que a participação ainda está aberta para investidores pessoa física e jurídica.

Os patrocinadores farão aportes para adquirir cotas em duas das mais importantes empresas de venture capital israelenses. A Plus Ventures, especializada em startups de tecnologia, que teve entre suas investidas a criadora do Waze; e o Trendlines Group, mais importante empresa israelense de investimentos em companhias de tecnologia nas áreas agrícola e médica.

Uma pesquisa da Startup Genome, revela que Tel Aviv é a segunda melhor cidade para startups. Com 4,8 mil empresas nascentes na área de tecnologia, a capital isralense está depois apenas do Vale do Silício e à frente de metrópoles como Los Angeles e Nova York.

O país é o terceiro com mais empresas listadas na Nasdaq, a bolsa de valores americana para empresas de tecnologia, depois do Canadá e dos Estados Unidos.

“Os brasileiros terão a oportunidade de investir em um fundo sólido e consistente, formado por empresas com mais de 30 anos de mercado. O Israel Global Dynamic Fund, L.P. representa o maior fundo de consolidação em tecnologia do Brasil”, diz Igor Raschkovsky, CEO da Station Partners, que representa a Global Dynamic Business no Brasil.

Raschkovsky é um jovem de 24 anos, filho de uma família da elite carioca, mais conhecido até o momento por ser o namorado da atriz Stefany Britto, ex-mulher do jogador de futebol do Corinthians Alexandre Pato.

Mas a iniciativa tem nomes de peso por trás, incluindo o conglomerado Moldawsky Group, dono de negócios nas áreas de tecnologias, diamantes e imobiliário, além do escritório de advocacia Shibolet & Co, um dos mais tradicionais do país. O fundo será auditado pela Ernst & Young.

Apesar da juventude, o CEO da Station Partners também não é isento de seus méritos. Segundo relatam sites especializados no assunto, ele viu Stefany em um restaurante carioca em 2010. Impedido de entrar em contato com ela pelas regras do local, o rapaz apelou para o Facebook e conquistou o coração da moça online.

Mais difícil do que convencer pessoas a investir numa startup israelense, sem dúvida.