ERP

Natal implementa e-Cidades

05/11/2014 16:10

Capital potiguar é a primeira a adotar o software open source de gestão municipal do Ministério do Planejamento.

Praia da Ponta Negra, um dos pontos turísticos de Natal. Foto: flickr.com/photos/r_lucena/

Tamanho da fonte: -A+A

Natal, no Rio Grande do Norte, vai implementar o software open source de gestão municipal e-Cidades com consultoria da gaúcha DBSeller, em um investimento de R$ 6 milhões.

O contrato inclui sistemas das áreas financeira, patrimonial, recursos humanos, saúde e educação.

A capital potiguar, com 842 mil habitantes, é a primeira do Brasil a migrar para o e-Cidades, uma solução originalmente desenvolvida pela DBSeller que hoje está disponível para download no Portal do Software Público do Ministério do Planejamento.

Este não é o maior projeto com a tecnologia já feito, no entanto. Em fevereiro, Niterói, munícipio de 487 mil habitantes na região metropolitana do Rio de Janeiro, fechou um contrato de R$ 14 milhões com a Proderj, estatal de processamento de dados carioca. 

O contrato da capital potiguar, no entanto, marca uma escalada no comprometimento da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento com o sucesso do e-Cidades.

O governo federal vai bancar cursos de capacitação para utilização do sistema e de adaptação para a administração municipal, além de auxiliar na elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação pelo município. 

Ao que tudo indica, o Ministério do Planejamento decidiu entrar em campo para garantir o sucesso da primeira implementação numa capital do ERP.

Até agora, a maioria das implementações se deu em municípios de porte bastante menor. No Rio Grande do Sul, a DBseller tem clientes como Carazinho e Itaqui, que juntos não somam 100 mil habitantes.

Desde o começo, em 2011, o Portal do Software Público sofre críticas (cada vez mais veladas nos últimos anos, é verdade) de empresários e entidades empresariais de TI que enxergam na iniciativa uma forma de competição injusta com empresas privadas que vendem software proprietário.

A defesa do Ministério do Planejamento até o momento tinha sido que o e-Cidades era uma solução para municípios que não tinham condições para se informartizar. 

O programa foi incluído como parte do pacote em 342 muncípios brasileiros beneficiados pelo programa Cidades Digitais do Ministério das Comunicações, que tem critérios de seleção como ter menos de 50 mil habitantes, baixo IDH e pequena penetração de acesso à Internet. 

Natal tem um IDH considerado alto, quase um milhão de habitantes e um orçamento para 2014 de R$ 2,4 bilhões. 

É o tipo de cliente que seria disputado por empresas especializadas em sistemas para gestão para prefeituras, um grupo formado por cerca de uma dezenas de companhias, muitas delas com duas décadas de mercado.

Depois do protesto inicial contra o Portal do Software Público, essas empresas pareciam haver se conformado com perder a possibilidade competir em algum perfil de prefeitura, ou até mesmo alguns dos seus clientes menores.

Com a migração de cidades como Niterói e Natal para a base do e-Cidades, a coisa começa a mudar de figura. 

Veja também

PR quer conectar todos os municípios

O governo paranaense está desenvolvendo um projeto para levar internet gratuita para todos os municípios do estado, iniciando as ações em 2012.

Chamado de Paraná Digital, o programa está em fase de elaboração e ainda será submetido à apreciação do governador Beto Richa.

“O objetivo é atender principalmente a população mais carente”, informa o secretário do Desenvolvimento Urbano, Cezar Silvestri.

DESENVOLVIMENTO
Sul tem 15 municípios no Cidades Digitais

Ministério das Comunicações divulgou lista com 80 cidades do novo projeto. Do total, 15 são do Sul.

REFORÇO
Meffe, ex-SLTI, está no Serpro

Responsável pela organização do Portal do Software Público, ele reforça Serpro no mercado de prefeituras.

ERP PARA PREFEITURAS
Brasília dá força para o e-Cidade

Ministério das Comunicações abriu edital para registros de preço de empresas interessadas em fazer a implementação do software.

ERP
Niterói: R$ 14 milhões no e-Cidades

O dinheiro irá para a Proderj, estatal de processamento de dados carioca, em quatro repasses divididos até 2016. 

PREFEITURAS
Jaguarão troca Dueto por e-Cidades

Cidade vai investir cerca de R$ 300 mil para migrar os sistemas da prefeitura e da câmara de vereadores.

TELECOM
Municípios brasileiros não têm disputa de 3G

As operadoras Tim e Oi foram mostradas como impulsionadoras da cobertura 3G nas regiões.

CIDADES DIGITAIS
Faltam candidatos no RS Mais Digital

Das 17 vagas no edital, só cinco foram preenchidas.

ERP
Serpro vai hospedar E-Cidades

O Ministério das Comunicações pagará R$ 14 milhões ao Serpro para hospedar ERP.