Gabriel Lobitsky.

A Infor quer aumentar a quantidade do seu porfólio disponível para clientes no Brasil, começando já no ano que vem com produtos voltados para experiência de usuário, omnichannel e gestão de supply chain.

O plano é de Gabriel Lobitsky, novo vice presidente da Infor para Sul da América Latina, região onde estão Brasil, Argentina, Chile, Uruguai, Bolívia, Paraguai, Peru e Equador.

“Essas são tecnologias em alta para as quais existem early adopters aqui, aos quais podemos oferecer boas condições comerciais”, resume Lobitsky.

De acordo com o executivo, a oferta da Infor no país está muito concentrada em software de gestão de backoffice, ativos e armazenagem. A ideia é ter o pacote completo aqui em cinco anos. 

“A Infor tem um portfólio de 400 produtos especializados em verticais de mercado. Nós só vendemos 40 por aqui”, resume Lobitsky

O novo comandante da Infor no país diz que a receptividade na base de clientes para as novas ofertas é boa. Lobitsky diz ter visitado 40 clientes nos últimos 60 dias.

O executivo, ex-gerente de vendas sênior da Oracle, foi contratado pela Infor em agosto e está na sua segunda passagem pela companhia, onde foi executivo sênior entre 2012 e 2014.

O desafio do profissional é se firmar na posição, que tem sido uma batata quente nos últimos anos.

Lobitsky substitui Paulo Padrão, ex-Avaya, que ficou pouco mais de um ano no cargo.

Roberto Regente Jr,  foi contratado em agosto de 2012, vindo da RSA, a Divisão de Segurança do EMC e permaneceu no comando menos de um ano.

Depois vieram Andre Papaleo e Ivamar Sousa, dois ex-Oracle, dividiram o comando da operação brasileira em 2013, sendo sucedidos no ano seguinte por Fernando Corbi, vindo da SAP.

Em nível mundial, a Infor acaba de anunciar novidades de alto impacto que devem afetar a contratação do novo comando no Brasil.

Nesta mesma semana, o Koch Equity Development, braço de investimentos da gigante industrial americana Koch Industries, investiu US$ 2,5 bilhões na empresa.

A Infor é forte no segmento industrial, incluindo algumas empresas do grupo Koch. 

Analistas apontaram que o negócio faz parte de um esforço da Koch em se transformar em uma empresa mais digital, à exemplo do que está fazendo a GE.

A Koch Industries é o segundo maior grupo de capital fechado dos Estados Unidos, com faturamento de US$ 115 bilhões e negócios em petróleo, petroquímica, energia, minério e celulose. Se fosse uma empresa aberta, a Koch estaria na 17ª posição no Fortune 500.

O negócio é um reforço e tanto para a Infor. Em entrevista a Forbes, o CEO da Infor, Charles Phillips, destacou que a Koch tem o tamanho da Oracle, SAP, Salesforce e Netsuite juntas. 

A Infor, por outro lado, fechou o ano fiscal 2016 em abril com uma receita de US$ 2,8 bilhões, só maior do que a NetSuite, para ficar no exemplo, faturando mais ou menos um décimo do que a SAP fatura.

A estratégia da Koch é comprar empresas em dificuldades no mercado, mas com chances de recuperação e de lucratividade. Os novos investidores terão quatro dos nove assentos no conceito de administração.

A Infor está em meio a uma transição de modelo de negócio, apostando em entrega de software através da nuvem, em particular da Amazon Web Services. Cloud já representa mais da metade da receita, o que é acima da média do mercado.

De acordo com estudo anual sobre o mercado de TI feita pela Fundação Getúlio Vargas (EAESP-FGV), a presença da Infor está concentrada no topo da pirâmide: entre empresas com mais 700 usuários de ERP, a empresa tem participação de mercado de 20%, igual a da Oracle e Totvs. A SAP tem 51% nessa faixa.

No segmento de empresas médias, de 170 a 700 teclados, a Infor já tem uma participação menos expressiva, na faixa de 4%, a mesma que tem entre as pequenas, com até 170 usuários.

De acordo com dados de um estudo de 2012 publicado pela Forbes, em nível mundial a Infor divide a terceira colocação com a Sage - ambas com 6% do share - atrás das gigantes SAP (25%) e Oracle (13%).