Contronics se preparar para receber os aportes. Foto: Flickr.com/68751915@N05

A Contronics, fabricante de equipamentos eletrônicos, software e serviços para segurança profissional que tem sedes em Florianópolis, São Paulo e Miami, adotou o SAP Business One na unidade catarinense.

O sócio-fundador da Contronics, Geraldo Tarasconi, não abre detalhes, mas dá indícios de que a decisão pelo ERP envolve planos de aproximação com investidores externos.

“A SAP é uma empresa conhecida mundialmente, e isso pode ser decisivo no caso de decidirmos aceitar alguma associação do tipo private equity, realizadas por instituições que investem essencialmente em empresas ainda não listadas em bolsa de valores, ou trocarmos ativos com potenciais sócios estrangeiros”, afirma o executivo.

Para Tarasconi, é fundamental que os investidores não só confiem nos dados das empresas em que investem, mas que tenham acesso e saibam navegar no sistema de gestão utilizado por elas.

“Seria um fator de desvalorização do nosso negócio se esse sistema fosse um produto desconhecido ou inexpressivo. O caso contrário é um fator de valorização”, aposta o sócio-fundador.

Valorização tanta que o executivo já estuda a expansão futura do SAP B1 para as demais unidades e empresas do grupo, em São Paulo e nos EUA.

O ERP está em implantação na companhia catarinense desde outubro de 2012, sob comando da Service Sul, de Blumenau, e tem go live previsto ainda para este mês.

A implementação abranger todas as áreas da empresa – de CRM e vendas à produção, financeiro, contábil, suprimentos e serviços – e vem sendo conduzida com base em metodologia AIP, sem customizações.

“São processos já adotados por 35 mil clientes em todo o mundo”, afirma Gilson Koch, diretor da Service Sul.

A Contronics atua nos cinco continentes, por meio de parcerias comerciais.

A empresa fabrica soluções para controle de rondas de segurança e afirma ser o único fabricante brasileiro de controladores eletronicos de chaves.

A partir de 2009, com o lançamento do Guard On-Line (GOL), a companhia passou também a atuar como prestadora de serviços.

NA ESTRATÉGIA
A empresa reforça a estratpegia da SAP de crescer sua oferta de ERP para pequenas e médias empresas – o que na visão da fornecedora alemã se traduz em companhias com faturamento na casa dos R$ 100 milhões a R$ 300 milhões ao ano.

O esforço para ampliar as vendas já fez do B1 a primeira aplicação analítica da SAP “powered by Hana”, sua super solução de processamento de dados.

Hoje, a multi alemã tem mais de 1,5 mil clientes do SAP B1 só no Brasil.

No primeiro semestre de 2012, a fatia de SMB nos resultados da companhia por aqui cresceu 61% em faturamento, em relação ao mesmo período de 2011. Falando só da linha B1, a expansão foi de 97% no mesmo intervalo.

Para 2013, a meta da SAP é fechar o ano com 200 clientes em todo o Brasil do B1 oferecido totalmente na nuvem.

Se for obtida, a meta representará um salto de uma base inicial que ainda engatinha no mercado brasileiro, com 13 clientes já operando e outros 20 em fase de implantação.

NA IMPLANTAÇÃO
Responsável pelo projeto com o ERP na Contronics, a Service Sul atua como parceira SAP EBM (Extended Business Member) .

A carteira de clientes da companhia também traz nomes como Mineração Brandão, Buhler,
MService, Rotoline e Unilux, entre outros.