In doleiro we trust. Foto: flickr.com/photos/shyb

Tamanho da fonte: -A+A

A decisão do governo de aumentar o IOF dos cartões de débito para saques e compras no exterior em mais de 20 vezes, pulando de 0,38% para 6,38% ressucitou os doleiros no Brasil, agora numa versão modernizada.

Segundo relata o Valor Econômico, os doleiros agora trabalham com cartões pagos emitidos fora do país – algumas vezes no bom e velho Paraguai – e, por tanto, livres da tributação imposta pelo governo.

O cartão pode ser emitido fazendo uma remessa em favor do próprio remetente para um banco fora do país, que neste caso emite um cartão de débito. 

Esse método é legal e tem incidência do imposto de 0,38%, pois se trata de uma remessa para o exterior. 

O outro meio, mais arriscado e ilegal, é entregar o dinheiro para o doleiro, que retorna com um cartão emitido fora do país.

“É um mercado paralelo, só que o doleiro aqui vende cartão. Coisa que só existe no Brasil”, disse um diretor de corretora ao Valor, agregando mais um item na famosa lista “jabuticaba” das coisas que só existem por aqui.