Serttel é conhecida pelas bicicletas, mas opera uma série de serviços. Foto: Charles de Moura/PMSJC

A Serttel, empresa pernambucana de soluções para gerenciamento de trânsito, segurança e mobilidade urbana, migrou seu data center para a nuvem do Google, em um projeto com consultoria da Tivit.

O contrato prevê grandes volumes de dados. Só o sistema de semáforos inteligentes e equipamentos de fiscalização eletrônica da Serttel gravam cerca de 35 milhões de imagens de veículos por mês, representando 1 (terabyte) de dados. 

A cada cinco anos, a empresa armazena 60 terabytes para cada uma das 11 cidades que atua, um grupo que reúne São Paulo, Rio de janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza, Vitória, Santos, Brasília, Goiânia, Natal, João Pessoa e Recife.

Para analisar o grande volume de dados gerados por meio das suas linhas de negócio, a Serttel precisava de um ambiente seguro e que removesse a sobrecarga operacional do sistema. 

O acordo envolve também integrações com outras tecnologias do Google: os semáforos passaram a se programam conforme o fluxo de veículos detectados pela plataforma do Google Maps.

A migração teve início em outubro de 2018 e durou cerca de seis meses. 

"Temos agora 28 servidores à nossa disposição para o desenvolvimento e a aceleração de novos produtos e projetos, além disso, investimos apenas nos recursos que usamos, pois nosso armazenamento ocorre sob demanda", diz Angelo Leite, CEO da Serttel.

A jornada foi dividida em quatro fases, vinculadas às demandas da própria Serttel. 

A primeira iniciou com a carga de imagens da solução de Blitz Eletrônica, que guarda dados dos veículos que passam nos equipamentos de Fiscalização Eletrônica da empresa. 

As demais fases levaram os servidores restantes e as aplicações para o funcionamento integral da solução em nuvem, como a solução de Semáforos Inteligentes (TrafGO), o sistema ZAE de Zona Azul Eletrônica, o sistema SAMBA de Bicicletas Compartilhadas, o REBUS para a gestão de transportes coletivos inteligentes e o VAMO, uma tecnologia de compartilhamento de veículos elétricos em estações, por meio de aplicativos mobile. 

Em 2016, a Serttel já havia apostado em um projeto de cloud, com uma cloud híbrida da Embratel.

A empresa tem 600 colaboradores, divididos entre o Parque Tecnológico de Eletroeletrônica de Pernambuco, no Polo Tecnológico do Porto Digital, em Recife, e uma unidade Industrial em São Paulo.

A Serttel foi listada no pequenas e médias empresas que mais crescem no Brasil da Deloitte em 2015, com um faturamento de R$ 155 milhões em 2014, una alta de 140,35% em seu faturamento desde 2012.