Cisco se une a outras gigantes na IoT. Foto: divulgação.

A ABB, Bosch e Cisco anunciaram a criação da Mozaiq, uma joint-venture internacional para desenvolver e operar uma plataforma de software aberto para residências inteligentes.

Segundo destacaram as companhias em nota à imprensa, a plataforma vai "ajudar a unificar soluções autônomas atuais para automação residencial e oferecer a interoperabilidade entre dispositivos".

O responsável interino pelo Mozaiq será Dirk Schlesinger, da Cisco Internet Business Solutions Group. Ele ficará localizado em Frankfurt, na Alemanha, até que um novo diretor seja anunciado.

Para Tarak Medhta, responsável pela divisão de produtos de baixa tensão da ABB, a colaboração deve acelerar o processo de desenvolvimento de produtos para Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês).

"A ABB tem um portfólio abrangente de soluções para edifícios residenciais e comerciais e está empenhada em promover a inovação neste espaço emocionante. Colaborações como o Mozaiq irão garantir que os consumidores tenham acesso mais rápido a melhor tecnologia possível", avalia Medhta.

Com a aliança a Cisco fecha ainda mais o cerco em estar na ponta em relação a uma definição de padrões para o mercado de IoT, o que segundo analistas é a fronteira final para que a tecnologia deslanche no mercado mundial, podendo movimentar até US$ 7,1 trilhões em 2020, segundo o Gartner.

A Cisco também faz parte do Industrial Internet Consortium, ao lado de empresas como IBM, Intel, AT&T e GE, com o plano de impulsionar negócios envolvendo o conceito de Internet das Coisas e automação industrial via web.

Outro investimento da multinacional, realizado no ano passado, foi a criação de um centro global de inovação dedicado à Internet das Coisas, que será aberto em Barcelona.

A instalação receberá investimento de US$ 30 milhões e será uma plataforma de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e de novas oportunidades de negócio relacionados com a IoT aplicada às cidades inteligentes (smart cities).

Com inauguração prevista para o verão de 2016, o centro será um dos cinco centros globais da Cisco dedicados a Internet das Coisas, se juntando a dois já em funcionamento (no Rio de Janeiro e em Songdo, na Coreia do Sul) e a outros dois que serão construídos na Alemanha e no Canadá.