A Femsa está desenhando um plano abrangente de inovação em sua estrutura de gestão. Foto: Divulgação.

A Femsa, segunda maior envasadora do grupo Coca-Cola no mundo, está desenhando um plano abrangente de inovação em sua estrutura de gestão, começando com a adoção de soluções de CRM e e-commerce.

Quem afirma isso é o CIO da Femsa, José Rosales, que esteve no SAP Sapphire, em Orlando. Segundo o executivo, a empresa mexicana está avaliando soluções da SAP, como o recém-lançado Customer Engagement & Commerce, para uma implantação ainda em 2016.

"Queremos definir nosso roadmap de inovação até julho, para iniciar as implementações no segundo semestre", destacou o executivo.

Ao falar implementações, Rosales também citou outros pontos de interesse, como integrar o sistema de CRM, que utiliza a plataforma Hana, com o Hybris (e-commerce), para levar capacidades de B2B e B2C.

Além disso, o interesse em SAP também vai de encontro à atual estrutura de TI da empresa, que já tem todas as suas unidades em onze países na América Latina (incluindo o Brasil), Central e parte da Ásia, rodando aplicações SAP em uma organização padronizada.

"Usamos ERP da SAP e já temos módulos em Hana, como é o caso do Business Objects. Continuar com este parceiro é a decisão mais lógica", afirma Rosales.

Mesmo com todo o namoro com a SAP, Rosales afirma que os contratos ainda não foram fechados. Na parte de CRM, a Salesforce também negocia com a Femsa, embora Rosales admita que a balança pode pender mais para o lado dos alemães.

Rosales revela também planos da companhia para a modernização em sua parte de e-procurement, e está decidindo entre Coupa e Ariba (da SAP) para esta mudança.

Ainda falando de Hana, o CIO é mais contido ao falar sobre uma possível mudança para o S/4, nova aposta da multinacional alemã para levar seu ERP à nova plataforma de banco de dados em memória.

"Acredito que ainda é cedo para fazer esse tipo de migração. Preferimos ser pacientes, inovar em áreas complementares ao ERP. Para nós, ainda não seria o momento para o S/4", avaliou o executivo.

Para o Brasil, os planos de mudança tecnológica para a Femsa também tem seus impactos. No Brasil, a companhia realizou um grande número de aquisições nos últimos anos. Desde 2003, quando começou a operar no país, foram sete.

A primeira aconteceu ao assumir por US$ 3,6 bilhões o controle da Panamco, que atuava no litoral de São Paulo e em parte do interior do estado. Em 2008, a empresa comprou a Remil, franquia que atuava no estado de Minas Gerais.

No mesmo ano, também houve a compra da Sucos Mais, da Sucos Del Valle e da Matte Leão, empresas que hoje fazem parte da Leão Alimentos, da qual a Coca-Cola Femsa Brasil é acionista.

Em 2013, a empresa adquiriu a Cia Fluminense de Refrigerantes por US$ 448 milhões e a curitibana Spaipa por US$ 1,85 bilhão (cerca de R$ 4,4 bilhões).

Embora não faça parte da Femsa, a Vonpar, maior distribuidora da marca Coca-Cola no Rio Grande do Sul, utiliza SAP desde 2001 para sua gestão. No ano passado, a empresa estendeu para sua divisão de alimentos o uso de ERP da empresa alemã, deixando de usar o Microsiga, da Totvs.

*Leandro Souza viajou a Orlando para o SAP Sapphire 2015 a convite da SAP.