Xiaomi, de saída do Brasil? Foto: divulgação.

A Xiami, fabricante chinesa de smartphones que estreou com barulho no mercado brasileiro em 2015, está atravessando uma crise no país, com a produção paralisada e a possibilidade de encerramento de atividades em um futuro próximo.

É o que afirma uma matéria do site especializado Manual do Usuário. Segundo fontes próximas ouvidas pelo portal, a produção no Brasil está paralisada e a companhia deixou de comprar novos componentes. 

As vendas mensais estariam na casa das 10 mil unidades, uma cifra irrisória. De acordo com o IDC foram vendidos 47 milhões de smartphones no Brasil em 2015, ou 3,9 milhões por mês em média.

“Nesse cenário, alguns funcionários ligados à Xiaomi têm comparecido esporadicamente ao trabalho, enquanto outros já procuram por recolocação no mercado”, afirma a matéria do Manual do Usuário.

Na avaliação do Manual do Usuário, a Xiaomi foi vítima de uma combinação de fatores externos, como o fim da Lei do Bem e a crise econômica, e internos, como a dificuldade de emplacar o modelo de negócios chinês no Brasil.

A Xiaomi divulgou uma nota oficial contestando as informações divulgadas pelo Manual do Usuário. No que diz respeito à fabricação local, a companhia nega que uma eventual parada signifique o fim das operações no Brasil - o que também é negado pela Xiaomi.

"Os produtos do portfolio são montados no Brasil quando e se a fabricação se justificar frente à importação. Não estamos encerrando nossas operações no Brasil", aponta a empresa.