Baguete
InícioNotícias> Huawei: Positivo para volta de smartphones

Tamanho da fonte:-A+A

RETORNO

Huawei: Positivo para volta de smartphones

Júlia Merker
// quarta, 06/06/2018 23:00

A Huawei aposta em uma parceria com a Positivo para trazer seus smartphones de volta ao mercado brasileiro. 

Huawei agora vai atacar o mercado brasileiro com produtos premium. Foto:: Divulgação.

O plano da fabricante é oferecer aparelhos no país a partir do terceiro trimestre deste ano, em uma data ainda não definida entre agosto e setembro.

No primeiro ano de atuação, a empresa espera conquistar 1% do mercado local, o que significa comercializar aproximadamente 500 mil aparelhos.

O anúncio do novo projeto para smartphones foi feito em Brasília, durante o evento de comemoração dos 20 anos de atuação da Huawei no Brasil na área de infraestrutura de telecomunicações.

Há cinco anos, a empresa chinesa ingressou no mercado brasileiro de celulares, mas a experiência não foi bem-sucedida e a companhia deixou de operar com vendas no país em 2015.

"Na época os produtos não eram fortes o suficiente para apresentar uma marca nova aos brasileiros. Agora o nome é mais reconhecido e somos a terceira maior empresa no mundo em vendas de smartphones", relata Adam Xiao Ersong, diretor de desenvolvimento de negócios para dispositivos da Huawei.

Em 2012, a companhia realizou a entrada no mercado sem uma parceira brasileira. 

Agora, a partir do acordo com a Positivo, espera facilitar sua adaptação ao mercado local, especialmente em relação à tributação.

"A Positivo tem outros acordos de licenciamento, como o da Vaio para notebooks, mas a parceria com a Huawei está em outro patamar e terá status de prioridade, pois são produtos premium", afirma Norberto Maraschin, vice-presidente de mobilidade e de negócios internacionais da Positivo.

A marca vai trazer ao Brasil o aparelho P20 para competir com iPhone e Samsung S9. 

Além dele, será oferecido um smartphone da Nova Series, que é considerado de faixa média-alta. 

Esse posicionamento também é uma mudança em relação à primeira tentativa de ingresso no mercado brasileiro, quando a empresa apostou em aparelhos de entrada.

Inicialmente, os smartphones serão importados pela Positivo, que será responsável pelas vendas e pelo suporte técnico. 

A Huawei apoiará o trabalho na área de marketing. No futuro, será avaliada a possibilidade de fabricação de aparelhos no Brasil.

Além de vendas online, o plano é fechar um acordo com pelo menos um grupo varejista para presença em lojas físicas. A fabricante também estuda a criação de quiosques em shoppings de cidades como São Paulo e Rio de Janeiro.

"A Positivo não teme um processo de canibalização com sua linha de smartphones porque a Huawei vai trazer produtos premium, enquanto os aparelhos da Positivo se encaixam no mercado de entrada", afirma Maraschin.

Com os celulares próprios, a Positivo teve retração de 26% no volume de aparelhos vendidos em 2017. A empresa comercializou 1,7 milhão de unidades no ano passado.

Em 2017, a Huawei registrou uma fatia de 8,8% do mercado global de smartphones, atrás apenas de Samsung (20,9%) e Apple (14%).

*Júlia Merker viajou a Brasília a convite da Huawei.

Júlia Merker