Donald Reis, diretor da Constat.

A Constat forma nesta sexta-feira, 06, a primeira turma do seu Programa de Desenvolvimento de Gestores, uma iniciativa iniciada um ano atrás com intenção de formar lideranças internas e gera mais negócios para a companhia.

Os 12 funcionários formados no chamado PDG, escolhidos entre os cargos gestão de contratos e serviços da empresa devem atuar como formadores numa segunda turma formada com analistas com perfil para atuar futuramente em cargos de gestão.

Para o ano que vem estão previstas novas turmas, o que deve disseminar a ideia ainda mais entre os 350 funcionários da empresa, além de começar a incluir empresas parcerias.

“A meta final é reduzir o turnover, melhorar o clima interno e a relação com os clientes”, resume Fabiano Raupp, diretor de TI da Constat, que está à frente do PDG.

[Raupp é a pessoa para o trabalho. Na Constat há dois anos, vindo da área de segurança da Vonpar, o profissional também atua como coach e está se formando em Psicologia, um perfil pouco comum na área técnica].

Para alcançar os objetivos, a Constat elaborou internamente uma reforçada apostila inspirada em conceitos de educação continuada de nomes consagrados no meio empresarial como Fundação Dom Cabral e FGV, distribuídos ao longo de 15 encontros de quatro horas e meia.

“A ideia do PDG é disseminar na empresa práticas de feedback, fazer com que os funcionários entendam mais qual é o nosso ambiente de negócios, quais são as oportunidades e os desafios”, comenta Donald Reis, diretor da Constat.

O PDG veio acompanhado da introdução na companhia de um plano de participação nos resultados por metas alcançadas. “Junto com o entendimento dos funcionários que os cursos são um rito de passagem no crescimento na organização, o plano cimentou o PDG”, afirma Raupp.

Em uma empresa que tem entre seus negócios atividades de outsourcing e um software de gestão de atendimento, o Qualitor, habilidades de comunicação e conhecimento dos negócios podem fazer muita diferença para os colaboradores, acredita Reis.

O empresário cita como exemplos dos resultados obtidos agora um maior entendimento das movimentações estratégicas dos clientes e, por consequência, mais tranquilidade em relação dos gestores em relação à sua posição em momentos de crise.

“Queremos gestores que saibam dar a informação que o cliente quer, ao mesmo tempo que saibam identificar novas oportunidades de negócio para a Constat”, resume Reis.