Marilia Rocca.

A Konica Minolta, multinacional japonesa de equipamentos de imagem para escritório e para diagnósticos, fechou um acordo para vender o Fluig da Totvs no Brasil.

Com o negócio, a empresa passa a representar no país o software de gestão de documentos eletrônicos (GED), gerenciamento de processos de negócios (BPM) e colaboração (Social) de maneira complementar às suas impressoras multifuncionais.

A empresa criará uma nova divisão de serviços de software com o objetivo de ofertar a plataforma da Totvs. 

A meta é representar 20% do faturamento da subsidiária brasileira em até três anos. Em nota, a Totvs dá uma pista que a solução pode ser internacionalizada pela companhia, dizendo que a “experiência será compartilhada” com outras subsidiárias.

Uma gigante com faturamento de US$ 8,5 bilhões, a Konica Minolta é relativamente pequena no Brasil, atendendo cerca de mil clientes.

"Hoje em dia, os nossos clientes não querem apenas digitalizar um documento, eles querem e precisam fazer a gestão digital dos arquivos”, destaca William Espinelli, coordenador do Departamento de Planejamento Corporativo da Konica Minolta e responsável pela nova divisão.

A Konica Minolta é, até o momento, o maior dos canais do Fluig. No ano passado, a Totvs havia anunciado a entrada da Resource, uma integradora brasileira com presença Brasil, Chile, Argentina, Colômbia e Estados Unidos e faturamento de R$ 400 milhões em 2013.

O restante dos 25 parceiros da solução (pelo menos os que tiveram o nome revelado pela Totvs, que faz mistério sobre alguns nomes que teriam contratos com companhias concorrentes) é constituído por empresas menores.

A parceria com a Konica Minolta, no entanto, mostra que apesar de ter fechado o ano passado abaixo da meta de 35 parceiros para o Fluig, a Totvs segue trabalhando para construir um canal de venda independente para a solução.

Atualmente, o fluig conta com 500 mil usuários em 400 empresas. Em 2013, a Totvs tomou um grande empréstimo junto ao BNDES, no total de R$ 658 milhões, dos quais R$ 58,4 milhões seriam investidos na ferramenta.

“Um dos nossos objetivos é atingir empresas que possam ver o Fluig como um produto complementar às suas linhas de negócio, abrindo assim novos mercados”, afirma a vice-presidente de Plataformas e Cloud da Totvs, Marilia Rocca, responsável pela unidade Fluig.

A área de impressão é um terreno especialmente fértil para a estratégia desenhada por Marília. 

Com cada vez mais documentos circulando em formato digital, os fornecedores do segmento – tanto de impressoras, como de terceirização de impressão - estão se reposicionando como consultores para todo o ciclo de vida da documentação, coordenando o fluxo dos documentos.