Integram a rede de novidades da Cisco no Porto Maravilha quatro quiosques interativos. Foto: Divulgação.

O Porto Maravilha, antiga área portuária do Rio de Janeiro que atualmente é centro de um programa de renovação urbana em grande escala, adotou um pacote de 15 soluções da Cisco.

Parte do Programa de Inovação Urbana da Cisco, a plataforma inclui uma gama de serviços e aplicativos focada em temas como mobilidade, colaboração, turismo, meio ambiente, acessibilidade, fomento à inovação e planejamento urbano.

O projeto de inovação urbana no Porto Maravilha contou com 18 meses de pesquisa e desenvolvimento. Além de soluções da própria Cisco, a rede integra sistemas de startups que venceram o desafio de inovação proposto pela companhia em 2015. 

A plataforma conta com tecnologias que vão desde totens para informações da região como um sistema de detecção de resíduos em bueiros, prevenindo alagamentos.

A rede foi viabilizada a partir da instalação de uma rede wi-fi urbana, um datacenter e uma plataforma colaborativa para os cidadãos, dedicados ao Porto Maravilha. 

Já o wi-fi público gratuito na região, que teve sua primeira fase anunciada em maio deste ano, cobre atualmente uma área de aproximadamente 100 mil metros quadrados, incluindo a Praça Mauá (através de hotspots) e a Orla Conde, entre os armazéns 1 e 8.

Integram a rede de novidades da Cisco na região quatro quiosques interativos que fornecem informações como localização das principais atrações, mobilidade, serviços públicos, agenda cultural, entre outras. 

Os quiosques, que têm telas sensíveis ao toque, também oferecem experiências interativas para melhor explorar a região, como “Felicitômetro”, que disponibiliza em tempo real um ranking dos locais com maior “nível de felicidade” no Porto Maravilha, por meio do monitoramento de mensagens postadas de modo público nas redes sociais. 

O “Guia do Porto” destaca ainda as rotas com acessibilidade na região, através dos dados fornecidos pela startup Livrit, uma das ganhadoras do Desafio Cisco de Inovação Urbana.

Uma versão móvel do guia está disponível para download em smartphones e gera roteiros customizados para os visitantes do Porto Maravilha. 

A solução é criada a partir de dados fornecidos pelos usuários sobre suas preferências e interesses e alimentada pelos dados coletados pela plataforma da Cisco. 

Até o início dos jogos olímpicos também serão instalados na Praça Mauá, no Aeroporto Santos Dumont, na rodoviária Novo Rio e no Rio Media Center, postos de atendimento denominados “Rio City Info”. 

Os totens permitem uma ligação com vídeo para uma central especializada de atendimento da RioTur. Através da solução Cisco Remote Expert, turistas podem interagir e trocar informações com os agentes, reproduzindo a experiência de um atendimento presencial. 

Os postos possibilitam comunicação por voz, vídeo e dados, e também contam com câmera para documentos, tablet acoplado e impressora controlados pelo agente.

A rede Wi-Fi Porto conta com ferramentas de análise de presença para fornecer informações sobre fluxo e concentração de pessoas, além de dados demográficos dos usuários. 

A ferramenta CMX, da Cisco, registra dados de smartphones com o recurso de wi-fi ligado, mesmo os que não se conectam a rede de internet da empresa.

O projeto do Porto Maravilha é o primeiro no Brasil a contar com a solução CMX.

Na região também foram instaladas sete estações de sensoriamento ambiental, com 11 tipos de sensores que informarão ao Centro de Operações do Rio, em tempo real, dados ambientais colhidos na região.

O Porto Maravilha também conta com serviços inteligentes criados pelas startups vencedoras do Desafio Cisco de Inovação Urbana, a partir do programa de aceleração desenvolvido durante cinco meses. 

A região já tem 28 bueiros equipados com sensores volumétricos da NetSensors conectados ao sistema de monitoramento do Centro de Comando e Controle do Porto Maravilha. Quando o bueiro chega a um nível de resíduos próximo ao que causa risco de alagamento, a equipe de limpeza é acionada automaticamente.

Já a startup Audio Alerta instalou dois sistemas de áudio vigilância que atuam na detecção de sons incomuns e no envio de alertas para a Centro de Comando e Controle do Porto Maravilha. 

A plataforma detecta sons como tiros, inclusive identificando o tipo de arma. A partir da integração com câmeras da Cisco, o sistema também busca a imagem da ocorrência.

“Esse projeto mostra que falar de cidades inteligentes é falar de qualidade de vida, implantando soluções que colocam as pessoas em primeiro lugar”, afirma Laercio Albuquerque, presidente da Cisco Brasil.

O Porto Maravilha é uma iniciativa da prefeitura para resgatar uma área de 5 milhões de metros quadrados na região portuária do Rio. O projeto é uma operação de R$ 8 bilhões em 15 anos.

A ideia do Porto Maravilha é recuperar a infraestrutura urbana, o transporte, o meio ambiente, os patrimônios histórico e cultural, além de melhorar as condições habitacionais da região, que encontrava-se em estado de grande degradação.

Outras empresas de tecnologia também tem projetos na região. O YouTube, por exemplo, vai abrir no Porto Maravilha um ambiente com estúdios de gravação para os produtores que publicam vídeos no portal. O YouTube Space Rio terá de mais de 2 mil metros quadrados.

Já a Avaya, em parceria com a First Tech, desenvolveu um projeto de infraestrutura para o Porto Maravilha e passou a fornecer uma rede de fibra óptica no local. 

* Júlia Merker viajou ao Rio de Janeiro a convite da Cisco.