Carlos Souza foi um dos fundadores do Veduca. Foto: Divulgação.

O Udacity, um dos grandes players americanos do mercado de cursos massivos online (MOOCs, na sigla em inglês), acaba de chegar ao Brasil.

No Brasil, a empresa é liderada por Carlos Souza, diretor-geral da Udacity para a América Latina.

Souza foi um dos fundadores da Veduca, a maior iniciativa brasileira na área de MOOCs, mas vendeu sua participação para os demais sócios no ano passado.

Apesar de atuarem na mesma área, a Veduca e a Udacity tem modelos de negócios diferente. A primeira, assim como concorrentes americanos como Coursera e EDX, foca em parcerias com instituições de ensino superior interessdas em abrir cursos na modalidade.

Já a Udacity foca no que chama de “Nanodegrees”, formação focada em tecnologia orientada para o mercado de trabalho e desenvolvida em parceria com grandes empresas como Google, Facebook, Amazon, GE e Twitter.

Os cursos são abertos para qualquer pessoa, não é necessário ter conhecimento prévio em programação.

“As empresas de TI têm alta demanda por profissionais que acompanham a evolução tecnológica. A Udacity vem para diminuir esse gap e oferecer alternativas eficientes para quem quer crescer ou até mesmo ingressar nesse mercado”, acredita Souza.

Os cursos lançados no Brasil são totalmente em português e também têm preços ajustados à realidade nacional, com mensalidades de R$ 399. Se o aluno completar seu Nanodegree em até 12 meses, a Udacity devolve 50% do valor investido, da mesma forma que ocorre nos Estados Unidos. A ideia é ter empresas brasileiras criando cursos também.

No mundo, cerca de 4 milhões de pessoas já tiveram acesso ao conteúdo Udacity gratuito disponibilizado no site. A organização recém captou investimento de US$ 105 milhões e está avaliada em US$ 1 bilhão.