Foto: flickr.com/photos/wbob

Após um ano de inauguração da primeira fase do seu data center em Tamboré, a Alog Data Centers do Brasil – empresa que faz parte da plataforma Equinix –, dá início às obras da segunda fase da expansão do projeto, com o custo de R$ 30 milhões.

O prazo inicial era o último trimestre do ano. Mas, segundo a empresa, o sucesso do novo data center  – que já conta com 70% de ocupação – entre os mais de 1.400 clientes antecipou a ampliação, de 300 para 750 racks.

Conforme Eduardo Carvalho, vice-presidente da Alog, a estrutura do data center em Tamboré está direcionada a projetos modulares de colocation.

Segundo o executivo, essa é uma demanda de grandes empresas brasileiras e dos clientes Equinix que desejam investir na América Latina.

Atualmente, o site está com cerca de 200 clientes instalados.

A empresa também oferece serviços de hosting, cloud computing, além de equipes especializadas no gerenciamento de ambientes. O site em Tamboré conta com estrutura totalmente redundante.

INFRAESTRUTURA
Atualmente, o data center segue as orientações do ITIL, tem a certificação TIER III, os selos SSAE16 tipo II e ISAE3402 tipo II, que são a evolução do SAS70, e qualidade assegurada por um sistema de gestão certificado pela ISO 9001:2008.

Para garantir a continuidade das operações dos clientes, o novo data center recebe energia de duas subestações diferentes de fornecimento.

Ao todo, são 12 megawatts de energia disponível.

Dentro do prédio, uma estrutura de no-breaks e geradores garante autonomia em caso de falha no fornecimento de energia nas subestações.

Equipes de segurança, portas de aço, câmeras sensíveis a movimento e leitores de biometria e de crachás garantem que apenas pessoas autorizadas tenham acesso aos servidores. Também há quatro sistemas de detecção e combate a incêndio, um deles extingue o fogo com gás FM200 sem danificar os equipamentos.

A conectividade ininterrupta à internet é garantida por conexões de fibra ótica redundantes e independentes com as melhores operadoras de telecom, ligadas a roteadores e switches de alta capacidade, que asseguram a disponibilidade dos ambientes.

O novo data center também passa a oferecer internet de qualidade para as empresas da região, já que a Alog é um ponto de troca de tráfego (PIX) do PPT Metro, com capacidade inicial de 20 GB/s e permitindo um volume mensal de 6 PB (petabytes) de troca de tráfego entre os participantes.

As empresas da região passarão a ter uma redução dos custos com a internet, aumento de qualidade na conexão e melhor desempenho.

Entre as empresas que usam o data center estão a PSafe e o BomNegócio.com.

A primeira empresa oferece Secure Cloud Computing e seu primeiro produto, o PSafe Protege, é antivírus gratuito em nuvem que faz a varredura e a eliminação de ameaças virtuais de forma remota.

Já o BomNegócio.com é uma startup que iniciou suas atividades em junho do ano passado e necessita armazenar os seus dados em um data center robusto e confiável.