Foto: flickr.com/photos/kaushal

A Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Paraná protocola nessa segunda-feira, 06, em Curitiba, uma ação cautelar na Justiça Federal para pedir que a operadora de telefonia TIM seja novamente proibida de vender linhas no estado.

Na opinião do presidente da comissão, deputado Leonaldo Paranhos (PSC), “a decisão da Anatel de liberar as operadoras para vender novas linhas não se justifica”, porque os serviços oferecidos não teriam melhorado.

“O sinal continua péssimo e os consumidores prejudicados”, afirma, segundo publica o Valor.

Na última quinta-feira, 02, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) anunciou a liberação das vendas de novos planos de telefonia e internet móveis das operadoras TIM, Oi e Claro que estavam suspensas desde o dia 23 de julho em alguns estados.

Paranhos diz que houve pressão para a liberação das vendas devido à proximidade do Dia dos Pais.

O deputado diz que a TIM, líder de mercado e de reclamações no estado, ainda não cumpriu com as obrigações assumidas junto à comissão, como melhorar a qualidade do sinal.

No mês passado, o Procon de Porto Alegre proibiu as quatro maiores operadoras do Brasil – Vivo, TIM, Claro e Oi – de venderem novas linhas de celular na cidade.

Após um acordo, que incluía um plano de contra-propaganda pelas operadoras, as vendas foram liberadas. Na mesma semana, a Anatel anunciou a suspensão que, no caso do Rio Grande do Sul, afetava apenas a Oi.

Já no Paraná, as vendas sob restrição foram da TIM. Em Santa Catarina, foi a Claro.