Baguete
InícioNotícias> Fundo promete “capital como serviço”

Tamanho da fonte:-A+A

CAAS

Fundo promete “capital como serviço”

Maurício Renner
// segunda, 06/08/2018 10:00

O Social Capital, sediado Vale do Silício, acaba de abrir para o mercado brasileiro a sua plataforma de avaliação de potenciais investimentos pela Internet, uma abordagem que o fundo de venture capital está chamando de Capital-as-a-Service (CaaS).

Fundo promete investimentos de até US$ 250 mil. Foto: Pixabay.

A ideia do fundo é investir no modelo CaaS (quantas siglas como essa ainda serão criadas?) valores entre US$ 50 mil e US$ 250 mil, investimentos conhecidos no jargão como “early stage”. 

O Brasil é o primeiro país a receber a versão aberta do novo fundo. 

"A escolha é devida à quantidade de fundadores com boas ideias e às lacunas identificadas pelo fundo quando se trata de startups early stage e na primeira rodada de investimentos", afirma Ashley Carroll, uma das sócias do Social Capital.

Apesar da empolgação, o Social Capital só realizou um investimento conhecido no Brasil, na startup de educação a distância Descomplica. O fundo não terá um representante no país, a avaliação será toda online.

O Social Capital lançou um modelo piloto de CaaS há um ano e, há nove meses, durante os quais avaliou 5 mil empresas provenientes de 25 países, das quais 70 delas receberam investimento. 

No site da Social Capital, estão listadas duas startups, uma startup de tecnologia para RH do México e outra de automação de marketing da Índia, como as primeiras investidas.

No modelo tradicional, o fundo investiu em algumas dezenas de startups, incluindo nomes conhecidos como Slack e Survey Monkey.

De acordo com a Social Capital, sua plataforma utiliza análise de dados e machine learning para avaliar as startups e identificar, de forma semi-automatizada, aquelas com o melhor desempenho, as melhores soluções e mais potencial de crescimento. 

O foco é limitado, o que simplifica o processo: a empresa está de olho em empresas de software com receitas mensais recorrentes. É necessário fazer o upload de “dados transacionais”.

“Iniciativas interessantes podem ser deixadas de lado já que muitos fundos escolhem empresas com base em indicadores superficiais como contatos pessoais ou o status de seus executivos”, afirma o fundo em nota.

A Social Capital promete retornar todos os cadastros com recomendações e benchmarks, além de uma análise quantitativa completa aplicada pelo fundo na hora de avaliar os negócios, mostrando o desempenho da empresa com relação a métricas fundamentais do setor. 

Além disso, o Social Capital pretende implementar serviços como uma comunidade online e webinars e conteúdos sobre retenção, aquisição, precificação e outros meios de suporte escaláveis.

Maurício Renner