Obras a mil no Itaquerão, digo Emirates Arena. Foto: divulgação/Odebrecht

Tamanho da fonte: -A+A

O Itaquerão, estádio que Corinthians está construindo na zona leste de São Paulo, terá seus naming rights vendidos para a Emirates, companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos, sendo chamado de  Emirates Arena ou Arena Emirates.

A informação é do Estado de São Paulo, que revela que o contrato está nos finalmentes e terá um valor de R$ 450 milhões por 20 anos.

Ambev e Zurich Seguros também estavam na disputa, revela o Estadão, o que levou o contrato a ser fechado por  R$ 50 milhões a mais do que o próprio Corinthians calculava. O acordo não é exclusivo é o time paulista ainda pode fechar outros contratos de patrocínio.

É um belo negócio para o Corinthians. A Itaipava, primeira marca a fechar a compra de naming rights das arenas da Copa do Mundo, pagou R$ 200 milhões para levar os direitos da Arena Fonte Nova, do Bahia, e da Arena Pernaumbuco, do Sport Recife por 30 anos.

A Itaipava chegou a negociar com o Inter, mas o acordo não foi para frente e marca decidiu por suas fichas no Nordeste.

Eduardo Antonini, então presidente da Grêmio Empreendimentos, afirmou ao Baguete que o clube gaúcho estava em negociações com a SAP para fechar os naming righs, em um acordo que envolveria também a instalação de um sistema de gestão da multinacional alemã.

Tudo indica que o acordo não vai sair. Antonini já saiu da Grêmio Empreendimentos e o  CMO da SAP, Jonathan Becher, foi reticente em relação ao mercado brasileiro como um todo para esse tipo de acordo em entrevista para o site em julho.

Becher alegou que a empresa não está interessada em gerar “eyeballs” para a marca colocando o nome em um estádio, mas em fazer um “showcase de tecnologia” nos moldes do  SAP Center, arena localizada em San José, no coração do Vale do Silício, o que parece bem longe das possibilidades do Brasil.