Gilsinei Hansen. Foto: divulgação/Totvs.

A Totvs acaba de inaugurar em Joinville um centro de desenvolvimento de soluções de supply chain, o CEISupply, que deve ser o ponto focal da estratégia da gigante brasileira de ERP para levar aos seus clientes novidades como o RFID, wearables e aplicações para dispositivos de aproximação, os chamados iBeacons.

De acordo com avaliações da Totvs, pelo menos 11 mil clientes seus na área de indústria, bens de consumo e têxtil tem possibilidade adotar em alguma medida esse tipo de novidades tecnológicas em um futuro próximo.

Para tanto, a empresa aposta em uma abordagem junto com parceiras como a Neogrid, gigante de supply chain fundada por Miguel Abuhab, um dos sócios da antiga Datasul. Ainda hoje, as operações da Neogrid na cidade catarinense ficam a poucos passos da atual Totvs.

Além da Neogrid, também estão no barco a Honeywell, multinacional de coletores de dados, a Dimep, companhia brasileira de sistemas de ponto, a Systembelt, empresa catarinense especializada em esteiras para linha de montagem e a IF RFID, uma empresa do Paraná que importa etiquetas de radiofrequência.

Olhando a lista, pode parecer que a Totvs está se posicionando como uma integradora capaz de entregar projetos completos mais além de uma implantação de ERP, e é mais ou menos isso, explica Gilsinei Hansen, VP de Segmentos da Totvs.

“O ERP é o centro nervoso das empresas. Nós não queremos entrar no negócio de distribuição de hardware, que é muito diferente do nosso, mas ser capazes de fazer o sizing da tecnologia necessária e aproximar parceiros que respondam a essas necessidades”, explica Hansen.

Segundo o executivo, a empresa já tem alguns projetos entregues nessa nova abordagem, incluindo um grande atacado de roupas, no qual etiquetas de RFID estão agilizando o check out.

As etiquetas de radiofrequência são a grande estrela da nova abordagem da Totvs. Nos últimos anos, o preço da unidade caiu em um ordem de valor de 10 vezes, fazendo com que a tecnologia deixasse de ser uma aplicação para nichos que lidam com produtos de alto valor e ficasse pronta para o mainstream.

A Totvs fortaleceu sua posição nesse segmento também por meio de aquisições. No começo de 2013, levou a PC Sistemas especializada em software para os setores de distribuição, atacado e varejo, por um valor inicial de R$ 80 milhões.

Além das condições do mercado, a Totvs aposta também no Brasil ID, um projeto do governo federal para introduzir identificação por RFID na movimentação de cargas do país, facilitando a fiscalização de tributos.

Atualmente nas suas fases iniciais o projeto deve operar com a mesma lógica da nota fiscal eletrônica, com um piloto em seis transportadoras, apoiada por algumas empresas de tecnologia (até agora, só fabricantes de equipamentos como Honeywell e Semp) sendo em breve expandido para adoção obrigatória por segmentos.

A Totvs já tem clientes participando do piloto e espera entrar em breve no conselho executivo, visando alavancar ainda mais o seu novo negócio na área de supply chain.

* Maurício Renner viajou a Joinville a convite da Totvs.