Ana Beatriz Pires, nova gerente de internacionalização da Softex. Foto: divulgação.

A Softex, entidade implementadora de políticas públicas do Governo Federal, anunciou Ana Beatriz Pires como sua nova gerente de internacionalização.

Pires atua na Softex há sete anos como gerente de projetos e parcerias, além de acumular funções paralelas dentro da organização. No período, trabalhou na conexão do Brasil com universidades, governo, ONGs e NGOs, empresas, aceleradoras e incubadoras de diversas partes do mundo.

Anteriormente, a executiva morou por mais de 10 anos nos Estados Unidos, onde concluiu mestrado em business pela Bellevue University e trabalhou nas empresas Western Union Financial Services, Valmont industries e Commercial Federal Bank.

No retorno ao Brasil, teve uma passagem na Brink's como gerente de vendas antes de ingressar na Softex. Com 24 anos de experiência, Pires também atuou na Johnson & Johnson no início da carreira.

Atualmente, a profissional está cursando AI for Business na instituição canadense Institut d'Intelligence Artificielle Appliquée (I2A2).

Em sua nova função na Softex, Pires coordenará iniciativas como o Projeto Setorial Brasil IT+, plano de internacionalização de empresas desenvolvedoras de software e prestadoras de serviços de TI desenvolvido em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Em 2019, o projeto contou com a participação de 191 empresas, que foram responsáveis pela geração de uma receita de US$ 681 milhões em exportação de software e serviços, o equivalente a 32% do total exportado pelo setor.

“Queremos crescer a presença internacional de nossas empresas. Vamos buscar mercados no exterior e fazer um match com as companhias brasileiras para viabilizar uma maior aderência ao processo de internacionalização, de acordo com os seus produtos e com a sua cultura”, afirma Ana Pires, gerente de internacionalização da Softex.

Com sede em Brasília e atuando há mais de 20 anos, o Sistema Softex é composto por 21 agentes regionais distribuídos por 13 estados brasileiros e no Distrito Federal.

A entidade possui 22 Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs) credenciados e 19 aceleradoras parceiras, beneficiando cerca de 4 mil startups e mais de 6 mil empresas.