Tráfego de dados subirá bastante no Brasil, diz Cisco. Foto: flickr.com/photos/trudi.

O Brasil deve aumentar o seu tráfego de dados em mais de oito vezes até 2016. Quem afirma é a Cisco, empresa referência mundial no setor de transmissão de dados.

A companhia norte-americana divulgou o estudo Cisco Visual Network Index (VNI) 2011-2016 – Adoção de serviços e crescimento do tráfego IP, apontando estatísticas e tendências para o tráfego de dados em todo o mundo.

De acordo com a pesquisa, o volume mensal de tráfego IP pelas redes do país chegará a 3,5 Exabytes em 2016, ante 420 Petabytes em 2011. Isso se deve ao crescimento da base de dispositivos móveis, expansão dos planos de banda e ampliação da oferta de serviços.

SERVIÇOS

Segundo aponta matéria da Computerworld, a nuvem está entre os novos serviços que demandarão maior largura de banda da infraestrutura de telecom.

Os data centers do País compõem ofertas para atender ao mercado corporativo, entre elas o Infraestrutura como Serviço (IaaS), que desperta interesse tanto dos prestadores de serviços quanto das operadoras de telecomunicações.

“O data center é o pulmão de cloud computing. Por isso, existe um movimento frenético no Brasil de empresas desenvolvendo projetos nessa área”, conta João Moura, presidente da Associação Brasileira das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas (TelComp).

DISPOSITIVOS

A pesquisa da Cisco prevê ainda que o País terá 617 milhões de aparelhos sem fio acessando as redes em 2012, quase o dobro dos 332 milhões que havia no ano passado. Até lá, cada brasileiro terá pelo menos três dispositivos móveis conectados à internet.

Em 2011, essa média era de 1,7 aparelho. O usuário médio de smartphone vai gerar aproximadamente 533 Megabytes de dados, ante 38 Megabytes no ano passado.

O Brasil ocupa o 10º lugar no ranking global em compras de smartphones e deve encerrar 2012 com a venda de 15,4 milhões destes dispositivos.

A chegada do 4G, já em teste no país e previsão de lançamento ao consumidor no ano que vem, também deve aumentar o peso desse tráfego.

Com maiores velocidades, chegando a até 100 Mbps, abre-se caminho para a transferência de arquivos maiores e dados mais pesados via rede sem fio.

IMAGINA NA COPA

A GSMA, associação de operadoras de celular, acredita que, durante a Copa do Mundo, mais de 1 milhão de conexões em roaming deverão ser feitas. Durante as oito semanas do evento, isso representará 300% do tráfego de dados normal.

Durante os Jogos de Londres de 2012, cerca de 60 GB de dados foram transmitidos na rede no Parque Olímpico a cada segundo, e esse número só deve aumentar, afirmam analistas.

Desde a privatização em 1998, as telecoms investiram cerca de RS 260 bilhões em estrutura, segundo dados da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil).

Para 2012, o Capex (capital para novos projetos) previsto para o setor é de R$ 24,5 bilhões.