INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Caixa adota Sophie, da Stefanini

06/12/2017 11:02

A Caixa é a cliente mais recente da plataforma de inteligência cognitiva da Stefanini.

A Caixa é a cliente mais recente da plataforma de inteligência cognitiva da Stefanini. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Caixa Econômica Federal realizou o projeto mais recente de adoção da Sophie, plataforma de inteligência cognitiva da Stefanini.

A ferramenta, que está em sua versão 2.2, é formada por um conjunto de softwares, sistemas e processos voltada para empresas ou sistemas que interagem com o consumidor ou usuário, por meio de texto e voz.  

Na Caixa, a assistente virtual foi batizada de Aixa. Com a finalização do projeto, mais de 150 mil funcionários e prestadores de serviços poderão, via portal de autoatendimento da Caixa ou Skype for Business, realizar aberturas de chamados, consultas e outras transações com a ferramenta.  

Com a solução da Stefanini, as interações passam a seguir fluxos de conversas simples e naturais, permitindo a busca de informações nos sistemas da Caixa, além de facilitar a abertura de tickets de atendimento (ITSM). 

“Com alto nível de complexidade e integração, podemos considerar este o maior projeto de atendimento cognitivo já realizado no Brasil”, diz Alexandre Winetzki, diretor de P&D da Stefanini. 

A plataforma Sophie 2.2 responde em 40 idiomas, sem necessidade de configuração adicional.

Desde o lançamento da plataforma, a Sophie alcançou automação média de 31% dos processos dos clientes que já implementaram a solução e tem mais de 2500 processos mapeados.

Mais de 1,2 milhões de tickets de atendimento serão processados por Sophie até o final de 2017, contra 80 mil processados em 2016.

A Stefanini deve fechar 2017 com um faturamento bruto de R$ 2,8 bilhões, uma alta de 7,5% frente aos resultados do ano passado.

No Brasil, outros bancos também contam com projetos de inteligência artificial. 

O Bradesco, por exemplo, foi o primeiro cliente brasileiro do Watson, plataforma de inteligência cognitiva da IBM. Em julho, o banco anunciou a ampliação do uso da tecnologia, para alcançar diretamente os clientes do Bradesco.

Batizada de BIA (Bradesco Inteligência Artificial), a assistente era usada até então apenas por funcionários para tirar dúvidas sobre os produtos e serviços bancários.

O Banco do Brasil também é cliente da IBM para a área cognitiva e lançou um chatbot para atendimento no Facebook Messenger a partir de recursos do Watson.

Desde fevereiro deste ano, o banco já contava com um bot para uso interno, no qual funcionários  podem tirar dúvidas sobre renegociação de dívidas. 

Veja também

BANCOS
Silveira sai da TI da Agiplan

Silveira estava na Agiplan desde agosto de 2014.

EXCLUSIVO
Castro, ex-Sicredi, assume TI da Agiplan

Castro assume o cargo nesta segunda-feira, 17.

DESENVOLVIMENTO
Stefanini: projeto sem e-mails para Cielo

A divulgação é uma forma da Stefanini frisar sua adesão a modelos ágeis.

APPS
Stefanini é canal da Microsoft Xamarin

A companhia brasileira é um reforço importante para a Microsoft na venda dessa ferramenta.