Galaxy Note, da Samsung, abriu caminho para o sucesso dos phablets. Foto: divulgação.

A onda de smartphones maiores, com tamanhos mais próximos aos tablets, parece estar longe do final.

Segundo a consultoria internacional Strategy Analytics, 2013 tem tudo para ser o "ano do Phablet".

Phablet, phonelet, super smartphone, tweener. Conforme a Reuters, as designações para este tipo de aparelho são várias. No entanto, o sucesso é o mesmo, já que em 2012 foram uma das grandes tendências do mercado.

Com o Galaxy Note, a Samsung puxou o segmento. Já na sua segunda versão, o Note conta com uma tela de 5,5" polegadas, e já vendeu cerca de 10 milhões de unidades em todo o mundo.

Para não perder o embalo neste sucesso, outras fabricantes também devem soltar os seus "phablets" no mercado.

A ZTE, que lançou em 2012 o Nubia, prepara o lançamento do Grand S, com tela de 5", para a próxima semana, na Consumer Electronics Show (CES).

A também chinesa Huawei lançará também na CES 2013 o Ascent Mate, smartphone com tela de 6,1", quase do tamanho de tablets como o Kindle Fire, da Amazon, e do Nexus 7, do Google.

Até mesmo a Apple se rendeu ao apelo das telas grandes. O iPhone 5, lançado em outubro do ano passado, marcou pela primeira vez na história do produto um aumento no tamanho do display, que pulou de 3,5" para 4".

"Os usuários perceberam que um smartphone com tela de quase cinco polegadas não é assim tão desconfortável", disse Joshua Flood, analista sênior da ABI research, no Reino Unido.

MOTIVOS
Segundo a consultoria, a preferência do consumidor pelos phablets tem a ver com o fato que usuários estão consumindo mais conteúdo visual do que antes em seus aparelhos móveis, inclusive deixando as chamadas de voz em segundo plano.

Outras funcionalidades, vídeos, navegação na internet e troca de mensagens multimídia, estão substituindo as ligações telefônicas como o ponto principal dos telefones.

Isto pode se tornar ainda mais evidente com a chegada de sistemas de internet móvel mais rápido, como o 4G, que permitirão chamadas de vídeo com maior qualidade.

Segundo dados da Ericsson, o tráfego mensal de dados de cada smartphone deve crescer em quatro vezes até 2018, para 1,9 mil megabytes, o que para o banco britânico Barclays deve representar um aumento de 400% no mercado de phablets.