Mercado de tablet em baixa. Foto: ShutterStock.

Menina dos olhos para o varejo de eletrônicos nos últimos anos, o tablet deve continuar em queda no mercado global em 2015. Quem diz isso é o Gartner, apontando um crescimento de vendas bem abaixo do que foi registrado nos últimos anos.

Depois de um ano conturbado em 2014, o mercado global de tablets global não vem retornando aos níveis de crescimento observado nos últimos quatro anos e a demanda por tablets continuará baixa no novo ano. 

Segundo aponta a consultoria, as vendas mundiais de tablets irão alcançar 233 milhões de unidades em 2015, um aumento de 8% em relação ao ano anterior, mas uma marca bem inferior aos costumeiros dois dígitos que marcaram os últimos quatro anos.

“O colapso do mercado de tablets em 2014 foi alarmante”, afirma Ranjit Atwal, diretor de pesquisas do Gartner. 

Segundo o especialista, a forte queda pode ser explicada por vários fatores: um deles é o tempo de vida deste tipo de aparelho, que está maior – ele é compartilhado entre os membros de uma mesma família, e as atualizações de software, especialmente para dispositivos IOS, mantém os tablets em dia com as inovações. 

Outro fator inclui a falta de inovação do hardware deste tipo de aparelho, que faz com que os consumidores não tenham interesse em trocar o tablet por um modelo mais novo. 

Com essa queda, o mercado já se prepara para novos produtos com o plano de seduzir o consumidor. Na Consumer Electronics Show 2015, em Las Vegas, wearables e internet das coisas acabaram se tornando o assunto do momento para a computação pessoal.

Segundo o Wall Street Journal reportou no ano passado, os consumidores estão notando que o tablet não era uma necessidade e sim um desejo. 

"Eles não são essenciais e portáteis como o smartphone. Eles não suportam tantas tarefas quanto um laptop ou um PC. Não é exatamente um dispositivo que muitos consumidores precisam ter", destacou o analista Ben Thompson para o jornal norte-americano.

Quem sentiu isso em 2014 foi a Apple, que registrou três trimestres seguidos de queda nas vendas de seu iPad, o tablet que iniciou a onda de sucesso para estes dispositivos.