Marissa Mayer sem muitos motivos para sorrir. Foto: divulgação/Yahoo.

A batata da CEO do Yahoo, Marissa Mayer, está assando na mão dos investidores da companhia de tecnologia. Nesta quarta-feira, a firma acionista Starboard Value envio ao conselho administrativo da companhia uma carta com sérias críticas à executiva.

Escrita por Jeffrey Smith, membro da gerência na Starboard Value, a carta aponta que Mayer, CEO do Yahoo desde 2012, falhou em sua missão de recuperar a companhia e que é hora dela deixar o cargo.

"É evidente que os investidores perderam toda a confiança na gerência e no conselho administrativo", afirmou Smith em sua mensagem. A informação é da CNN.

Smith é um dos críticos mais vocais da política administrativa de Mayer, se opondo à medidas como a possível venda da participação acionária do Yahoo no grupo chinês Alibaba, um dos ativos mais valiosos da companhia no momento, e sugerindo que o Yahoo coloque seu negócio de internet à venda para levantar fundos.

Entretanto, em vez de vender, o Yahoo planeja um spin-off desta divisão, um movimento que pode não fazer muita diferença para a companhia.

"Em vez de ouvir nossas sugestões e explorar uma venda do core business, vocês se esconderam atrás de um spin-off da divisão e do Yahoo Japan sem entender completamente as opções alternativas", afirmou.

Desde o ano passado, Mayer está na linha de fogo dos acionistas do Yahoo, que em diversas ocasiões pediram uma mudança na liderança da empresa. As ações da companhia perderam 30% em valor somente em 2014, com avanços ínfimos em receita.

No atual cenário, porém, desligar Mayer pode ser uma má ideia para a companhia norte-americana. Para complicar, a executiva recentemente teve gêmeos. Demitir uma executiva que recentemente deu à luz seria má publicidade.

Do lado do Yahoo, a empresa afirmou que está mantendo diálogos constantes e abertos com seus acionistas, embora não tenha falado especificamente da Starboard.

"O Yahoo está no meio de uma transformação que leva diversos anos. Atraímos mais de um bilhão de pessoas todos os meses e construímos uma rentável operação em mobile, vídeo e social que trará crescimento sustentável", afirmou um porta-voz em nota.