A Latam Airlines está testando a utilização de drones para inspeção de aeronaves, com tecnologia desenvolvida pela francesa Donecle.

Primeira companhia da América Latina a apostar na nova técnica de inspeção, a empresa tem o objetivo de otimizar um de seus processos em mais de 70%.

As inspeções visuais tradicionais demoram mais de dez horas e, com o uso do drone, este tempo de checagem externa deve cair para uma média de três horas. 

Apesar de estar sempre sob a supervisão de um profissional da companhia, o drone inspeciona de forma autônoma o exterior das aeronaves, utilizando uma tecnologia por laser. 

O processo considera todas as áreas dos aviões e registra imagens em alta resolução a cada segundo. Essas fotos são encaminhadas automaticamente para um software específico do drone, que identifica eventuais danos nas aeronaves. 

Posteriormente, os possíveis problemas são examinados em detalhes pelo técnico responsável para que decida o melhor procedimento para reparo.

Modelos Airbus A320 operados pela Latam estão sendo inspecionados em fase de testes no Centro de Manutenção da companhia em São Carlos, São Paulo.

Desde o início dos testes, já foram 17 aeronaves inspecionadas, todas com média de 2,5 horas para finalização da checagem, análise e relatório.

Segundo a Latam, a empresa buscará expandir o novo método para as operações de todo o grupo assim que ele for aprovado pela fabricante das aeronaves e pela autoridade europeia de aviação.

“É um privilégio termos a oportunidade de testar essa tecnologia avançada que já tem nos auxiliado no ganho de eficiência e elevado ainda mais nossos padrões de qualidade e segurança”, afirma Alexandre Peronti, diretor de manutenção da Latam Airlines Brasil.

Fundada em 2015, a Donecle nasceu através desta ideia. Entre seus clientes, estão desde companhias aéreas até operadores militares em todo o mundo.

O Grupo Latam Airlines tem mais 42 mil funcionários e opera aproximadamente 1,3 mil voos diários e mais de 72 milhões de passageiros transportados ao ano.

Sua frota de 327 aviões inclui os modelos Boeing 787, Airbus A350, A321 e A320neo. As ações da companhia são negociadas nas bolsas de Santiago e Nova York.