MÓVEIS

MadeiraMadeira é o novo unicórnio brasileiro

07/01/2021 10:49

E-commerce curitibano foi avaliado em mais de US$ 1 bilhão em rodada série E antes do IPO.

Fundadores da MadeiraMadeira. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A MadeiraMadeira, um dos maiores e-commerces de produtos para casa do Brasil, recebeu um aporte de US$ 190 milhões em rodada série E liderada pelo Softbank e pela Dynamo, que avaliou a empresa em mais de US$ 1 bilhão, dando a ela o status de unicórnio.

Segundo o site Brazil Journal, também participaram da rodada VELT Partners, Brasil Capital, Lakewood Capital, Monashees e Flybridge. No processo, a MadeiraMadeira foi assessorada pelo Bank of America.

Criada em 2009, a MadeiraMadeira foi fundada por Daniel Scandian (CEO), Robson Privado (COO) e Marcelo Scandian (CFO) em Curitiba e conta com um time de mais de 1,3 mil colaboradores, sendo a maioria focada em tecnologia, logística e desenvolvimento de produtos.

A empresa foi pioneira no Brasil no modelo de drop-shipping, que conecta diretamente sua plataforma de tecnologia proprietária ao ERP de cada fabricante, sem risco de estoque.

Para atender a operacionalização do e-commerce, mais de 30 softwares foram desenvolvidos internamente.

A companhia concentrou suas vendas no e-commerce desde o seu início até o ano passado, quando expandiu seu negócio com lojas físicas no formato de guide shops, pequenos showrooms onde o consumidor consegue ver os produtos, fazer a compra on-line e recebê-los em casa.

Somente durante a pandemia, abriu 10 centros de distribuição no Sul e Sudeste e um centro de fulfillment de 20 mil metros quadrados em Jundiaí, que deve permitir nextday delivery na cidade de São Paulo a partir do mês que vem.

Em 2020, a MadeiraMadeira vendeu 120% a mais e chegou a crescer 250% no auge da pandemia. A penetração da categoria de móveis no on-line, que era de 7% antes da Covid-19, teve um pico de 17% e agora está se estabilizando em 10%.

Desde que foi fundada, a empresa já levantou US$ 338 milhões de fundos como Monashees, Kaszek, Flybridge, Fundo Ávila, SoftBank Latin America Fund, Light Street Capital e Endeavor Catalyst.

Niraj Shah, CEO e fundador da Wayfair.com, e Christian Friedland, fundador da Build.com, também são investidores do negócio desde 2012.

Recentemente, a companhia decidiu fazer mais uma rodada antes do IPO para acelerar investimentos e continuar crescendo num momento em que concorrentes como Mobly, Westwing e Tok&Stok se preparam para levantar capital na Bolsa.

Na Série D, realizada em setembro de 2019, a empresa havia obtido um valuation de US$ 500 milhões, que agora foi mais do que dobrado.

"Com este novo investimento, estamos aumentando o nosso compromisso com a visão de criação de valor de longo prazo da MadeiraMadeira, uma vez que a empresa consolida a sua posição de líder no mercado de produtos para casa na América Latina”, afirma Paulo Passoni, Managing Investment Partner to SoftBank Latin America Fund.

Com a nova capitalização, a MadeiraMadeira deve investir em logística, desenvolvimento de marcas próprias e na expansão das lojas físicas, além de acelerar os investimentos em tecnologia, experiência do cliente e fusões e aquisições estratégicas.

Nas marcas próprias, o plano é ampliar o portfólio, cujas vendas crescem uma média de 20% ao mês, mas ainda representam uma fatia pequena da receita da empresa. Com 400 produtos de marcas próprias, a companhia pretende multiplicar este número por 10 este ano.

Além disso, o e-commerce deve abrir novos centros de distribuição e expandir seu fulfillment para novas regiões do Brasil. Hoje, a empresa opera 14 CDs.

“Esses novos investidores, junto com os atuais, serão a combinação certa para nos apoiar no nosso plano de expansão e a criar 'best-in-class' práticas de governança. Nós estamos muito entusiasmados com a oportunidade de tê-los nos apoiando nessa jornada", afirma Marcelo Scandian, cofundador e CFO da MadeiraMadeira.

Os outros 11 unicórnios brasileiros são: 99, Nubank, iFood, Gympass, Loggi, QuintoAndar, Ebanx, Wildlife, Loft, VTEX e Creditas.

De acordo com o Distrito, ecossistema independente de startups, as empresas PagSeguro, Arco Educação e Stone são IPOgrifos, companhias de capital aberto que valem mais de US$ 1 bilhão.

Veja também

BILIONÁRIA
Creditas é o novo unicórnio brasileiro

A fintech foi avaliada em US$ 1,75 bilhão em rodada série E liderada pelo LGT Lightstone.

NOVO UNICÓRNIO
VTEX capta mais US$ 225 milhões

De acordo com o Brazil Journal, anúncio oficial sai nos próximos dias.

LEITURA
Livro conta histórias dos unicórnios brasileiros

Da Ideia ao Bilhão promete trazer momentos-chave das 10 empresas, além de dicas práticas.

UNICÓRNIO
Livro conta os bastidores da 99

Empresa quase faliu em 2016, dois anos antes de ser vendida por US$ 1 bilhão.

BICHOS
Pandemia desbanca unicórnios e abre espaço para startups camelos

Crise gera mudança no tipo de empresas promissoras: saem de cena as promessas de crescimento, entra a capacidade de resistência.

MERCADO
Unicórnios no Brasil

Startups avaliadas em mais de US$ 1 bilhão estão tornando mais frequentes no país.

INOVAÇÃO
Depois dos unicórnios, as zebras...

Nem só de espécies mitológicas é composto o reino animal. 

CONSTRUTECH
Loft vira unicórnio em tempo recorde

Startup foi avaliada em US$ 1 bilhão em apenas 16 meses de operação.

UNICÓRNIO
Empresa de games brasileira chega a avaliação de US$ 1 bi

A Wildlife recebeu um investimento de US$ 60 milhões liderada pelo Benchmark Capital.

LISTA
10 possíveis unicórnios brasileiros

Fintechs, empresas de mobilidade e plataformas imobiliárias estão entre as favoritas.