ESPIONAGEM

Expresso em apuros no Paraná

07/02/2014 14:04

Expresso estaria no alvo de espiões? Foto: flickr.com/photos/dunechaser

Tamanho da fonte: -A+A

O Expresso, software de correio eletrônico open source mantido pela Celepar, empresa estatal de tecnologia do estado do Paraná e base do plano do governo brasileiro para criar um serviço de e-mail nacional, está em sérios apuros.

No domingo, 02, a Gazeta do Povo, jornal paranaense de maior circulação, afirmou, baseado em parecer técnico da Polícia Científica ao qual teve acesso, que o governo do estado estava espionando os e-mails de funcionários das polícias Científica, Civil e Militar, além da Receita Estadual. 

Ainda de acordo com a Gazeta do Povo, as contas de e-mails corporativos do Expresso Livre Mail eram invadidas por um usuário secreto, o “Administrador Expresso Sesp”, sem que os titulares das contas tivessem conhecimento.

Ao longo da semana, a Polícia Científica, de onde surgiu o relatório vazado à Gazeta, divulgou uma nota negando que o seu relatório original mencionasse invasões. 

Segundo o órgão, apenas foi apurado que algumas contas “apresentavam a opção de compartilhamento habilitada para a conta de nome “Administrador Expresso Sesp” e login “sesp-administrador”. 

Em tese, a existência desse compartilhamento permitiria invasões como as relatadas pela Gazeta.

A Celepar também divulgou uma nota negando a existência de invasões com base em uma análise técnica do histórico das contas feito no domingo, 02, mesmo dia no qual a matéria foi publicada, por técnicos da estatal acompanhados por representantes da área de Segurança Pública do estado.

Segundo a estatal, a habilitação da funcionalidade de compartilhamento das contas com o usuário “Administrador Expresso Sesp” ocorreu numa operação de manutenção do sistema, em junho de 2013, era vísivel para os usuários e podia ser removida.

A nota da Celepar não diz qual seria o nível de domínio da ferramenta que um usuário necessitaria para fazer tal remoção, ou se a visibilidade da habilitação do acesso de terceiros incluiu algum tipo de aviso explícito.

Independente da guerra de versões, as polícias Civil, Militar e Científica do estado devem abandonar o software de e-mail em favor de uma solução hospedada em seus próprios servidores, enquanto o Ministério Público do Paraná planeja adotar o Google Apps for Business.

Na sua última matéria sobre o caso, a Gazeta do Povo diz que as migrações para outros serviços acontecerão após a Copa do Mundo, sem citar quais seriam as fontes da informação.

De acordo com a publicação, a decisão de mudança já havia sido tomada pelas polícias antes mesmo de a espionagem vir à tona e seria “senso comum” no meio policial que trafegar informações sigilosas por meio de “uma empresa” não é seguro. No caso do MP, a decisão seria baseada na qualidade do produto.

O Paraná é um dos maiores usuários do Expresso. O sistema está instalado nas 23 secretarias de estado, Casa Civil, Procuradoria-Geral do Estado, Casa Militar, institutos, autarquias e entidades ligadas a elas, além de 19 prefeituras do estado e o Ministério Público do Paraná.

Ainda está por se ver se o imbroglio paranaense terá algum efeito nos planos do governo federal de transformar o Expresso em uma solução de correio eletrônico brasileira, imune a tentativas de espionagem de agências estrangeiras como a NSA, por exemplo.

Em julho do ano passado, o Serpro, estatal federal de processamento de dados, lançou o Expresso v3, uma solução de correio eletrônico, produtividade e videoconferência que será oferecido a órgãos de governo e empresas públicas por R$ 3,43 mensais o usuário.

O valor cobre hospedagem e suporte e uma conta inicial de 500 MB. A nova versão também roda em tablets e smartphones. Entre os primeiros usuários está o a própria estatal, com 11.721 contas.

Inferior em quesitos como tamanho da caixa o software tem seu principal ponto de venda na  orientação do governo no sentido de não hospedar dados no estrangeiro.

E se os espiões estão aqui mesmo, no Brasil?

Veja também

FISL
Serpro: e-mail por R$ 43/ano

Expresso v3, solução de correio eletrônico e videoconferência, será oferecido a órgãos de governo e empresas públicas.
 

MADE IN BRAZIL
Correios preparam serviço de e-mail

Governo quer que os Correios criem um concorrente a prova de espionagem para o Gmail e Hotmail. Mal posso esperar.

SEU DINHEIRO
E-mail dos Correios será do Serpro

O governo brasileiro encomendou aos Correios o desenvolvimento de um sistema nacional de e-mail no começo do mês. Pois parece que alguém em Brasília se deu conta que o Serpro já tem um.

MEDIDA DE SEGURANÇA
Governo exigirá softwares auditados

Governo não comprará mais computadores ou softwares que não permitam serem auditorados pelo poder público.

DÍGITOS
SAP de olho no governo

Objetivo é saltar de participações na casa de um dígito do faturamento para dois dígitos, entrega executivo.

NA NUVEM
Dimension Data terá data center no Brasil

Com novos serviços de SaaS e IaaS, a expectativa da companhia é atingir um crescimento de 40% no próximo ano fiscal.

NUVEM LOCAL
Microsoft traz Azure para o Brasil

A expansão faz parte de um investimento de US$ 1 bilhão da gigante da computação.

ESPIONAGEM
NSA invadiu 100 mil computadores

A tecnologia usa um canal secreto de ondas de rádio transmitidas por placas de circuito ou drives USB.