Acesso à internet via telefone celular ultrapassou o acesso via computadores. Foto: baranq/Shutterstock.

Pela primeira vez o acesso à internet via telefone celular ultrapassou o acesso via computadores, nos domicílios brasileiros.

O último levantamento do IBGE mostra que o percentual dos domicílios que acessam a internet por computador recuou de 88,4% para 76,6%, enquanto a proporção dos que navegam pelo celular saltou de 53,6% para 80,4%.

A informação faz parte do suplemento de tecnologias da informação e comunicação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2014, divulgado hoje. A PNAD TIC foi realizada pelo IBGE em convênio com o Ministério das Comunicações.

Entre os domicílios que acessaram a internet (inclusive os que utilizaram mais de uma forma de acesso) em 2014, 80,4% o fizeram por celular, 76,6% via computador, 21,9% por tablet, 4,9% por TV e 0,9% por outros equipamentos.

Considerando-se todas as formas de acesso investigadas pela pesquisa, mais da metade dos domicílios do país tinham acesso à internet em 2014: 54,9% do total, ou 36,8 milhões de domicílios. Segundo a situação dos domicílios, os percentuais diferiam muito: 60,8% dos urbanos e 18,5% dos rurais.

"A pesquisa consolida a ideia de que o acesso à banda larga é a principal demanda da população e o celular tem sido o principal dispositivo utilizado para isso ano após ano”, afirma o secretário-executivo do Ministério das Comunicações, Francisco Ibiapina.

Dos 36,8 milhões de domicílios com acesso à internet, 0,8% possuíam só a conexão discada e 99,2%, conexão em banda larga.. A conexão em banda larga fixa cresceu 9,9% em relação a 2013, mas a sua proporção caiu: de 77,1% para 71,9% dos domicílios com internet. 

Já a presença da banda larga móvel  pulou de 43,5% para 62,8% dos domicílios com acesso à web

No período da pesquisa, cerca de 16,5% (11,1 milhões) dos domicílios do país tinham tablets, um aumento de 5,7 pontos percentuais em relação a 2013. Na comparação anual, os acessos domiciliares à internet por tablet cresceram 50,4%.