Divulgação

A bola da Copa do Mundo de 2014 virá equipada com um chip para confirmar se a bola cruzou ou não a linha do gol em lances duvidosos.

Joseph Blatter, presidente da Fifa, disse que o sistema também será usado na Copa das Confederações, evento que acontecerá no Brasil no próximo ano.

Segundo Blatter, duas bolas eletrônicas estão em fase de testes.

A justificativa para uso de bolas eletrônicas está no gol não marcado do inglês Lampard contra a Alemanha, durante a última copa do mundo. Durante a partida em questão, o árbitro não validou o chute de Lampard, que atravessou a linha do gol.

A Fifa espera que o uso das bolas com chip seja aprovado no encontro International Board, em em Kiev, na Ucrânia, em 2 de julho.

Não foi especificada a tecnologia por trás do sistema de conferência de gols.

Protótipos como o CTRUS, apresentado no ano passado por uma empresa mexicana chamada AGENT, usam a tecnologia RFID e GPS para localizar a bola em campo.

Ela muda de cor quando um gol é marcado.

A possibilidade do uso de uma bola high-tech foi cogitada para a copa de 2006, mas foi descartada na época pela Fifa, que declarou não haver tecnologia suficiente para o uso desse tipo de equipamento.

O conjunto bola e chip estava sendo desenvolvido pela Adidas e por um instituto alemão, com base no RFID. Testes chegaram a ser realizados no estádio de Nuremberg, na Alemanha.

Abaixo, confira o lance envolvendo Lampard, um dos motivadores da discussão.