Valdemir Marques, da SAP Brasil. Foto: divulgação.

A SAP Brasil e a Score Consulting assinaram um contrato de ITO voltado para a saúde pública, para fornecer soluções analíticas, de mobilidade, gestão e computação em memória (Hana) por SaaS.

O acordo firmado durante o SAP Forum Brasil, realizado no mês de março passado, tem como objetivo oferecer estas soluções com foco na gestão de saúde municipal e estadual em todo o país.

Neste modelo de negócio, a Score disponibilizará serviços de infraestrutura, licenças de uso do software e ainda consultoria especializada de implementação e manutenção das soluções.

Estarão contemplados na nuvem atendimento clínico e prontuários eletrônicos, controle e rastreabilidade de medicamentos, controle de descarte de resíduos hospitalares, controle de ponto e funções de pessoal, assim como integração financeira, contábil, gestão de materiais e compras, incluindo também a gestão predial.

As visões analíticas oferecidas pela Score Consulting a partir deste contrato foram especificamente criadas para o setor de saúde.

Segundo destaca o diretor executivo da Score Consulting, Pedro Luiz Silva, já existem representantes do setor em negociação com a empresa para a aquisição do novo serviço, o que demonstra a demanda por este tipo de solução.

"Existe uma dor latente neste setor, que precisa de uma solução completa de gestão. Nosso objetivo é ofertar algo robusto que apoie todas as iniciativas governamentais para melhorar o serviço público ao cidadão".

Para Valdemir Marques, diretor para o setor público da SAP Brasil, o país vive um momento de crescimento e a companhia alemã está atenta, inovando com contratos de ITO para atender à demanda do Governo por serviços

Em abril, através de sua parceria com a espanhola Indra, a SAP assinou um contrato de aproximadamente R$ 12,5 milhões com a Telebrás para implantação do ERP SAP e serviços de consultoria, planejamento, desenho e construção da solução, treinamento e suporte.

A empresa também anotou outras implantações no setor público como na BRDE Sul, com investimento de R$ 33,5 milhões em 2011; e outros de menor porte, como Instituto de Resseguros do Brasil (IRB) e prefeitura de Americana.