Conselho da Alstom aprovou proposta da GE pela unidade de energia. Foto: Divulgação.

O governo francês não está satisfeito com a oferta de US$ 17 bilhões feita pela General Electric (GE) para comprar a unidade de energia da Alstom no país.

Segundo o New York Times, o governo está atuando quase como um banqueiro de investimento, que busca extrair termos mais ricos. 

O presidente François Holland e o ministro de economia do país, Arnaud Montebourg afirmaram nesta terça-feira, 6, que estariam abertos a apoiar a oferta da General Electric, desde que a empresa cumprisse algumas condições. 

Entre elas estava manter uma sede na França, que, presumivelmente, daria ao governo a chance de se opor a qualquer corte de empregos ou terceirização do trabalho da Alstom.

Eles também defenderam que as operações de construção de trens da Alstom permaneçam independentes e sugeriram que a Alstom adquirira o negócio de trens da GE. 

Os governantes também querem manter algum controle francês na unidade de turbinas e energia nuclear da Alstom, que a GE tenta comprar.

Na semana passada, o conselho de administração da Alstom aprovou a oferta da GE, que agora passa por uma revisão que durará um mês. 

A Siemens anunciou que pretende apresentar uma proposta rival. 

A empresa alemã já fez uma oferta preliminar, pela qual assumiria a divisão de geração de energia da Alstom e transferiria para ela parte da sua divisão de trens.