Paulo Padrão.

A Infor, multinacional de software de gestão, fechou um acordo com a gigante de serviços indiana HCL.

A meta é “expandir significativamente” a implementação, o desenvolvimento e os recursos de suporte para os clientes da Infor por parte da HCL em 30 países. 

Os indianos colocarão 500 funcionários para trabalhar exclusivamente com o ecossistema Infor dizem as companhias em nota, sem citar localização. A HCL tem 105 mil funcionários em todo o mundo.

“O banco técnico e a escala global da HCL vão expandir a reserva de talentos em torno dos aplicativos Infor e rapidamente gerar valor para os nossos clientes”, explica Paulo Padrão, Vice-presidente da Infor para o Brasil e América do Sul. 

O que isso vai significar na prática é difícil dizer, uma vez que a HCL não abre muitos detalhes sobre o tamanho da sua operação brasileira.

A empresa tem uma presença forte no Rio Grande do Sul, onde mantém um centro de serviços em São Leopoldo, na região metropolitana. Karin Fofonca é a de gerente de operações no Brasil da multinacional indiana fica baseada na cidade.

Além de São Leopoldo, a HCL tem operações também em São Paulo. 

Em um comunicado distribuído em 2014  na Índia, a companhia fala de um crescimento de 35% nos seus negócios no Brasil em 2013 e de um aumento de 50% na equipe no país nos últimos dois anos.

A empresa não revela na nota quantos funcionários tem, apenas que os dois centros podem abrigar até 450. Os centros do Brasil atendem o país, além do México, Argentina, Porto Rico e Chile.

Já a Infor mudou recentemente seu comando no Brasil, assumido em março por Padrão, executivo que estava nos últimos 15 anos nos Estados Unidos, liderando a área de serviços da Avaya.

Padrão vem com a missão de fazer decolar os negócios da Infor no país. Apesar de ser um grande player lá fora – faturamento de US$ 2,8 bilhões no ano fiscal 2014, encerrado em maio do ano passado – a empresa tem uma presença relativamente pequena no Brasil.

A missão enfrentada por Padrão não é fácil, tanto que a Infor vem fazendo alterações em série no comando da empresa no Brasil. Nos últimos dois anos, quatro executivos (incluindo aí uma tentativa de dividir a gestão entre dois profissionais) passaram pela posição.

A Infor parece realmente estar apostando no Brasil. A subsidiária nacional se mudou para a Torre Z, um novo arranha céu no Brooklin, onde também fica a sede da Procter and Gamble, em uma tacada que, de acordo com Padrão, custou US$ 3 milhões.