Carlson Aquistapasse, da Procergs. Foto: Baguete.

Anunciada em 2012, o projeto Infovias-RS caminha para sua fase de ativação de pontos de presença (PoPs) no estado. A meta da Procergs é aumentar de 12 para 44 pontos no estado até 2014, em cidades como Rio Grande, Bagé e Santa Maria.

Para Carlson Aquistapasse, diretor-presidente da estatal gaúcha de processamento de dados a estrutura de fibra prevista para o estado já está pronta - ou "iluminada" - para receber os pontos.

De acordo com o diretor, o estado contará com quatro backbones, contemplando principalmente as regiões sul e oeste do estado, qualificando o acesso com escolas e divisões públicas nestas áreas.

As obras foram realizadas em quatro parcerias. Executado em conjunto pela Telebrás e a CEEE, a primeira fase do plano, anunciado em setembro de 2011, partiu com um backbone de Porto Alegre em direção ao sul do estado, até Bagé, e passando por Rio Grande, ponto que deve ser ativado em breve.

Em parceria com a Telebrás, foi concluída a etapa entre Porto Alegre, Passo Fundo e Santo Angelo. O trecho conectando Porto Alegre, Alegrete, Uruguaiana e Livramento ficou por conta da Eletrosul, e também já está em funcionamento.

O quatro participante neste programa é a Rede Nacional de Pesquisa (RNP), que investiu em uma estrutura de fibra ligando a capital gaúcha rumo a fronteira com o Uruguai, passando por Santa Cruz, Santa Maria e Alegrete.

Com todos estes backbones, o plano é fechar um anel óptico interligando as regiões do estado, com internet de alta velocidade voltada a unificar serviços estaduais pela nova infraestrutura.

O investimento estadual previsto para o projeto é de R$ 44,9 milhões. Conforme Aquistapasse, só em 2013 serão investidos R$ 19 milhões nesta infraestrutura.

Segundo Aquistapasse, até o momento a rede disponível já está em uso em escolas, como é o caso de Bagé, que tem 23 escolas com links dedicados de 10Mbps, empregados no programa Um Computador por Aluno.

"Já temos escolas, agências do Banrisul e escritórios da Secretaria da Fazenda conectados à nossa infra-estrutura. No trecho da Zona Sul do estado, já amortizamos a despesa que tivemos com a estrutura de fibra colocada", comenta o presidente da Procergs.

De acordo com o diretor, a economia em telecomunicações - que passou para VoIP nas entidades atendidas pela Procergs - neste trecho ficou em cerca de R$ 1,9 milhões.

Mesmo assim, este valor ainda é modesto perto do investimento e da economia anunciada no lançamento do projeto, que era de R$ 91,6 milhões até 2015.

Para Aquistapasse, o projeto está andando dentro do previsto. Em dezembro do ano passado, o Banrisul assinou um contrato de dois anos e R$ 750 mil com a Procergs para usar a Infovia da estatal gaúcha de processamento de dados em 14 agências do banco.

Nove agências de Porto Alegre, duas de Pelotas e uma de Bagé, Camaquã e Guaíba fazem parte do que é tratado como um projeto piloto. Com a ativação de novos pontos, a tendência é melhorar, afirma o diretor.

"Já temos a estrutura. Agora o desafio é entrar nas cidades", finaliza.