Alberto Menache, CEO da Linx. Foto: Baguete

A Linx, paulista especializada em tecnologia de gestão para o varejo, encerrou o segundo trimestre de 2013 com receita operacional líquida de R$ 74,3 milhões, alta de 32,2% sobre os R$ 56,2 milhões do 2T12.

O Ebitda atingiu R$20,3 milhões, aumento de 56,4% em comparação ao mesmo período do ano pasasdo, e o lucro caixa da companhia foi de R$19,3 milhões, alta anual de 119,8%.

No 2T13, a receita recorrente (receita mensal de manutenção) da Linx cresceu 41,1% em relação ao mesmo período do ano passado, atingindo R$64,8 milhões, representando 78% do total da receita operacional bruta (ROB).

Em comunicado, a empresa atribui o crescimento à estratégia de combinar aumento do faturamento no clientes da base e na realização de vendas das chamadas “ofertas cross”, que são complementares aos softwares de POS e ERP da empresa.

Nesta linha, o próximo trimestre já poderá mostrar resultados da mais recente oferta da companhia, o Omni Hub, pacote de aplicativos para varejo omni channel que foi lançado oficialmente na terça-feira, 06.

No trimestre atual, a Linx também atribuiu os ganhos à aquisição da Compacta no terceiro trimestre do ano passado e à consolidação dos ativos da Seller, uma das mais recentes das 14 adquisições que a empresa fez nos últimos quatro anos.

A Linx abriu capital no início deste ano, tornando-se autora do primeiro IPO (sigla em inglês para oferta pública inicial de ações) da Bovespa em 2013.

A empresa lidera o setor de soluções de software para varejistas no Brasil, com market share de 29%, segundo dados próprios.