Tumelero adota NFC-e. Foto: divulgação.

A Tumelero, rede varejista de materiais de construção no Rio Grande do Sul, adotou a solução NotaMax de nota fiscal eletrônica para consumidor (NFC-e), em um projeto realizado com a gaúcha Decision IT.

A solução foi implantada nos pontos de venda em trinta lojas da rede, espalhadas em 21 cidades no estado. Com a novidade, os clientes podem receber seus cupons fiscais via e-mail, em vez do usar o papel.

A Tumelero possui mais de 100 pontos de vendas, com uma média mensal de 120 mil cupons fiscais que estão sendo substituídos gradualmente pela NFC-e. Iniciado em julho, o projeto deve ser finalizado em cerca de um mês.

A mudança vem no rastro da mudança na legislação estadual, lançada pela Secretaria da Fazenda (Sefaz-RS) no final de 2013, e que pouco a pouco está em adoção pelas empresas locais.

No caso de empresas como a Tumelero, que operam no sistema de "atacarejo", vendendo tanto para pessoa física e jurídica, a determinação da Sefaz é que a NFC-e seja implantada até novembro.

Segundo Leoni Ricardo Wenzel, gerente de TI da Tumelero, a rede deve efetuar a substituição total de suas impressoras fiscais em seus PDVs até o final do ano.

"Além de ficarmos em dia com a obrigatoriedade da NFC-e, conseguimos reduzir muito o custo que as impressoras fiscais nos geram atualmente que chega a três vezes mais do que as novas impressoras que geram a NFC-e”, destaca o executivo.

De acordo com o gerente, a empresa estima uma redução de custo em relação a solução de cupom fiscal, até então obrigatória, de 60%. Além disso, o executivo destaca o envio direto das informações no ato da venda.

“A NFC-e é um projeto muito importante para as empresas de varejo para enfrentar os desafios de 2015 e 2016 que se apresentarão. A desaceleração do crescimento irá fazer com que os acionistas elejam os projetos de curto prazo, baixo investimento e alto retorno, como a implementação da NFC-e.

Atualmente, cerca de doze empresas já adotaram a tecnologia, que dispensa a impressão de notas e faz a autenticação dos dados em tempo real, com pontos de venda conectados aos servidores da Sefaz.

Por enquanto, a nova tecnologia ainda é opcional para as empresas. O início da NFC-e no estado se deu com um piloto de março a setembro de 2013, em lojas como Panvel, Zaffari, Renner, Riachuelo, Wal-Mart e Paquetá, que experimentaram a novidade em algumas de suas unidades.

Segundo dados da Associação Brasileira de Automação Comercial (Afrac), que realizou em Porto Alegre nesta quarta-feira, 15, um evento sobre o assunto, o comércio varejista em geral deverá investir cerca de R$ 1 bilhão no ano que vem para se adequar à NFC-e.