Telecomunicações ainda caras no Brasil. Foto: flickr.com/photos/free-stock.

Tamanho da fonte: -A+A

Uma pesquisa da União Internacional de Telecomunicações colocou o Brasil entre os nove países mais dinâmicos em telefonia e internet, mas ainda é um dos mais caros na cobrança de seus serviços de telecomunicação.

Conforme aponta o relatório "Medindo a Sociedade da Informação", o Brasil fica na 62ª posição entre 160 países no nível de desenvolvimento de telefonia, acesso à internet e a outros serviços de telecomunicações.

De acordo com matéria do Valor, o Brasil não mudou seu ranking em relação da 2012, mas a UIT destaca que o país "melhorou significativamente" a conectividade das famílias, com o aumento de famílias com computador - de 45% para 50%.

No número de famílias com acesso à internet, a proporção é ainda maior - subiu de 38% para 45%. A agência, ligada às Nações Unidas, comentou o programa nacional de banda larga do governo, que planeja alcançar 40 milhões de residências até 2014 com velocidade de pelo menos 1 Mbit/s.

A penetração da banda larga móvel também teve crescimento no país, subindo a sua base de assinantes de 22% para 37% dos entrevistados.

Na parte do custo, segundo aponta a UIT, o Brasil ainda tem que avançar, já que os brasileiros continuam entre os que comprometem altos percentuais de sua renda para ter acesso a serviços de telecomunicação.

No caso do celular, os brasileiros comprometem 6,7% da renda, em média, ficando cerca de US$ 60 - 112ª lugar do mais barato para o mais caro. O mesmo serviço custa cerca de US$ 1,8 na Coreia do Sul, US$ 2,3 na China, US$ 12,8 no Peru ou US$ 23 no México.

O custo de telefonia fixa aumentou, para 3,3% da renda em 2012, comparado a 2,7% em 2011, colocando o país na 112ª posição entre 161 países.

A campeã no ranking continua sendo a Coreia do Sul, que figura com o serviços de acesso à internet mais rápido do mundo e à banda larga mais veloz.