Milton Epelboin, Jenner Marques, Rogério Brecha e Ivan Morais.

Rogério Brecha e Jenner Marques, dois executivos que eram sócios da CPM Braxis, acabam  de ingressar como sócios na Innovative, empresa paulista com atuação na área de Oracle, SAP e Mastersaf.

Tanto Brecha como Marques estavam até junho na Capgemini, gigante francesa que adquiriu a CPM Braxis ainda em 2010.

A empresa não revela qual foi o aporte feito pelos novos sócios ou qual é a composição do novo negócio. Milton Epelboin e Ivan Morais, os fundadores da empresa há 11 anos, seguem no barco.

De qualquer forma, os planos são ousados. A meta é fazer vendas de R$ 50 milhões nos próximos 12 meses, levando a companhia a engrenar um crescimento médio de 20% nos anos seguintes.

Para se ter uma ideia do que isso representa, a projeção de faturamento da empresa para este ano é algo em torno de R$ 35 milhões ou R$ 40 milhões, o que já é o dobro do ano passado.

“Existe espaço para uma empresa de sustentação de aplicações de porte no país”, acredita Brecha.

Na avaliação do executivo, o modelo de crescimento baseado em aquisições – que afinal de contas, ele conhece de perto – acabou criando players formados por uma série com um porfólio muito amplo, modelos de serviços diferentes e ineficiências operacionais.

Trocando em miúdos, Brecha acredita que gigantes como Sonda, Tivit e Stefanini podem ser incomodados por um novo concorrente.

A Innovative tem hoje 200 funcionários e operações em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Os clientes incluem nomes como Odebrecht, Lojas Renner, Portobello, Magazine Luiza, Lojas Lebes, Chilli Beans e TIM.