Villwock e alunos no Crialab. Foto: divulgação/PUCRS

O Laboratório de Criatividade HP-PUCRS, conhecido como Crialab, será um dos destaques do novo Global Tecnopuc, com uma área ampliada de 60m² para 300m².

O espaço, com um pé-direito duplo, ocupa boa parte do segundo andar da torre DaVinci do novo prédio do parque tecnológico gaúcho, inaugurado na semana passada com um investimento conjunto de R$ 17 milhões feito por PUCRS e HP.

Com 4 mil metros quadrados (um acréscimo de quase 10% na área construída total de 50 mil do parque) o Global Tecnopuc não deve receber empresas, mas ser um espaço para fomentar inovação através de networking, colaboração entre empresas e criatividade, um aspecto no qual o Crialab será fundamental.

Inaugurado em 2011, o Crialab é um espaço de alunos de graduação e pós, professores, pesquisadores, gestores e empresários ligados ao Tecnopuc, atuando em áreas diferentes como consultoria e aceleração, educação e pesquisa em criatividade.

“Nossa meta é prover uma experiência para os participantes fora das suas experiências cognitivas habituais”, explica o professor Luis Humberto Villwock, coordenador do CriaLab, que falou sobre o assunto nesta terça-feira, 06, durante o Global Tecnopuc Experience, ciclo de palestras que está inaugurando o espaço.

Esse esforço por ajudar os profissionais a “pensar fora da caixa” envolve uma série de ferramentas, incluindo dinâmicas de grupos, técnicas de design thinking, e, com a inauguração do novo espaço prevista para março do ano que vem, impressoras 3D para prototipação rápida.

De acordo com Villwock, a meta é preparar equipes multidisciplinares para atuar na solução de problemas - alguns do projetos do Crialab envolveram a realização da Copa do Mundo em Porto Alegre e os esforços de revitalização do Arroio Dilúvio - assim como levar essa abordagem para dentro das empresas.

“Solucionar um problema complexo demanda ir além de uma solução técnica específica ou do acompanhamento de um processo”, explica o coordenador do CriaLab, destacando que no cenário econômico atual, será cada vez mais difícil para empresas com sistemas de gestão muito rígidos serem competitivas ou atraírem novos talentos.

A obsessão por inovação tem sido uma constante na área de tecnologia, o que, nos últimos anos tem se traduzido pela adoção crescente de práticas de design thinking e a onipresença de posts its em salas de reunião.

Uma dose de auto avaliação sincera pode ser bem vinda antes de jogar uma empresa num turbilhão de práticas inovadoras que, se não são respaldadas por um verdadeiro comprometimento dos gestores podem não levar a nada, aponta Vinícius Mano, professor da Comunicação da PUC-RS que dividiu palco com Villwock.

“Existe todo um mantra em torno de criatividade que muitas vezes não está relacionado com o que as empresas realmente querem fazer”, comenta Mano.

Confira abaixo a matéria de Adriana Dall’Agnol da Comunicação da PUC-RS sobre a palestra abordando Criatividade no Global Tecnopuc Experience.