Menos que u0080 7 bilhões pela GVT a Vivendi não quer. Foto: reprodução.

Tamanho da fonte: -A+A

A francesa Vivendi planeja arrecadar no mínimo 7 bilhões (R$ 8,9 bilhões) para vender a operadora de telecomunicações GVT, que possui operações no Brasil.

Segundo informações da agência Reuters, o conglomerado francês que controla a operadora recebeu manifestação de interesse de pelo menos quatro companhias na compra de seu ativo.

Segundo duas fontes, que falaram à agência sob condição de anonimato, Oi, América Móvil, DirecTV e Telecom Italia estão em conversas iniciais sobre uma possível aquisição da companhia.

ATIVO ATRAENTE

Segundo dados do Teleco, a GVT é um ativo atraente para qualquer operadora atuando no Brasil.

"Possui uma rede moderna e oferece banda larga de alta velocidade em 136 municípios brasileiros. Trata-se de uma operação rentável com margem EBITDA superior a 40%", destaca o órgão.

A Vivendi comprou a GVT em 2009 por 2,9 bilhões depois de uma disputa acirrada com a Telefónica.

Apesar de a GVT ser um motor importante de crescimento para o grupo francês, também consome nível considerável de recursos da empresa, que passa por um momento de turbulência em suas finanças.

O conglomerado francês tem dívidas altas e nos últimos meses o preço de suas ações atingiram a sua pior cotação em nove anos. Além da GVT, a empresa cogita vender a Activision Blizzard, uma das maiores distribuidoras de games do mundo.