A Linx fechou o terceiro trimestre com receita operacional líquida de R$ 144,6 milhões. Foto: Divulgação.

A Linx, empresa focada em software de gestão para o varejo, fechou o terceiro trimestre de 2017 com receita operacional líquida de R$ 144,6 milhões, atingindo um crescimento de 17,2% comparado ao terceiro trimestre do ano passado.  

Já a receita operacional bruta, fruto da combinação da receita recorrente e de serviços, ficou em R$ 165,8 milhões.

No 3T17, a receita recorrente atingiu R$ 135,7 milhões, com crescimento de 13,4% sobre o 3T16, e equivalente a 82% da receita bruta. 

“A oferta de um pacote completo de soluções para cada necessidade seguiu como principal direcionamento de crescimento orgânico. As diversas iniciativas que a Linx tem desenvolvido, criando novos mercados e perfis de clientes serão, ao longo dos próximos trimestres, fundamentais para sustentar este progresso”, destaca Pedro Moreira, CFO e diretor de relações com investidores da Linx. 

O EBITDA ajustado atingiu R$ 36,6 milhões no 3T17, um aumento de 18,6% em comparação aos R$ 30,8 milhões do 3T16. 

“Neste trimestre, já foi possível perceber sinais de melhora no desempenho de nossos clientes em geral. Apesar de ainda não significar uma retomada no ritmo de abertura de lojas, o ambiente de negócios está mais positivo e, com isso, estamos otimistas”, adiciona Moreira.

Em 2017, a Linx também apresentou crescimento de dois dígitos no primeiro e no segundo trimestre. O resultado anual de 2016 foi uma receita bruta de R$ 569,2 milhões, uma alta de 12% frente aos resultados do ano anterior.

No último dia 18 de outubro, a Linx anunciou a aquisição da ShopBack, voltada para tecnologias de retenção, reengajamento e recaptura. 

O faturamento bruto da ShopBack nos últimos doze meses foi de R$15 milhões. Pela ShopBack, a Linx pagará R$ 39 milhões à vista.