Giovani Salvador.

A Dell do Brasil deve concluir no final de janeiro um processo de pouco mais de um ano pelo qual transformou seu modo de desenvolver software, deixando para trás métodos tradicionais e adotando mais e mais práticas de desenvolvimento ágil.

Ao longo dos últimos meses, a companhia contou com treinamentos da AdaptWorks, uma das consultorias referência quando o assunto é métodos ágeis, além do coach de Rafael Nascimento, uma das autoridades no assunto no país.

“Ao longo desse tempo, aumentamos a maturidade das práticas ágeis e formamos internamente os multiplicadores desse conhecimento dentro da Dell”, aponta o gerente de TI Giovani Salvador, sponsor da comunidade de práticas ágeis da multinacional no país.

De acordo com Salvador, hoje 65% dos colaboradores da Dell no país tem algum nível de treinamento em métodos ágeis, boa parte deles com certificação Scrum Master.

Como esse número inclui pessoal da área de desenvolvimento e suporte (a Dell não abre cifras totais) a quantidade de profissionais de tecnologia qualificados é bem maior.

A virada ágil da Dell começou em setembro de 2014, quando foi nomeado como CIO da empresa o americano Paul Walsh, que deu a diretriz mundial sobre o tema (Walsh deixou a Dell em novembro).

Com uma diretriz forte vinda de cima, grupos dentro da Dell que já estudavam o assunto colocaram a mão na massa, fazendo a transição de processos baseados em documentação e entregas longas para as práticas de contato frequente e entregas curtas características dos métodos ágeis.

“Dois pontos importantes foram trazer apoio de fora, com autonomia para dizer para o time interno as coisas que nós não queríamos escutar, assim como escolher os projetos certos para introduzir a nova abordagem”, comenta Salvador.

De acordo com o gerente de TI da Dell, os diferentes times tem também liberdade para escolher os frameworks ágeis que melhor se adaptem à sua maneira de trabalhar, o que tem aumentado a aceitação e os resultados.