Portobello tem um faturamento anual de R$ 1 bilhão.

A Portobello, maior fabricante da América Latina no setor de cerâmica, está usando software analítico da SAS para fazer a precificação dos seus produtos.

Antes da adoção da solução SAS Risk and Finance Workbench, a empresa tinha um processo de precificação manual. 

Em uma fase inicial, a empresa utilizou a ferramenta para automatizar modelos e cenários que ajudam na definição de estratégias de composição de preços dos cerca de 1,5 mil produtos.

O software da SAS é usado para precificar os produtos da rede de franquias com 150 lojas em todo o país, das vendas feitas diretamente para construtoras e obras do governo e também pequenos e grandes varejistas de materiais de construção.

Foram analisadas diversas regras de negócios, para evitar, por exemplo, que produtos semelhantes fossem comercializados em canais diferentes, com alta variação de preços, gerando o risco de canibalização e reduzindo o potencial da precificação. 

Segundo o gerente de TI do Grupo Portobello, Martim André Studt, o projeto é pioneiro no setor. 

“Sabemos que alguns concorrentes fazem pesquisa de preços, mas não temos conhecimento de que seja baseada em uma estratégia bem estruturada, segmentada por região, canal ou público-alvo”, resume Studt.

Um dos primeiros benefícios da Portobello foi registrado em em outubro deste ano, quando obteve um patamar de preço médio com alta de 10% em relação a 2017 no mercado interno. 

Esse número foi somado ao crescimento de 25% no volume de vendas dos revestimentos da categoria 90 x 90 cm e 120 x 120, considerado um mix qualificado no mercado de cerâmica. 

Encerrada a implementação da solução do SAS na fase de otimização, a Portobello planeja trabalhar em breve com os dados referentes a outros processos de negócio, como previsão de demanda e ciclo de vida de cada item do portfólio. 

Para isso, fará uso de informações de mercado obtidas a partir do Portobello Shop, seu principal canal de varejo, a fim de direcionar os investimentos em produtos, planejamento de produção e distribuição. Outras variáveis internas e pesquisas nos pontos de venda também serão utilizadas.

“Esta é outra fase importante do projeto e da nossa estratégia, pois vai nos permitir uma melhor execução da gestão do ciclo de vida do nosso portfólio, do controle de estoque e de uma entrega mais acurada, reduzindo custos e aumentando o nível de serviço”, conclui Studt.

Precificação é importante para a Portobello, sediada em Tijucas, Santa Catarina. Com o mercado de construção civil em recessão no país, um ajuste de preços se torna mais importantes.

Em 2017, a Portobello teve um faturamento de R$ 1 bilhão, em linha com registrado em 2015 e 2016.

Fundada em 1976, o SAS tem 80 mil clientes, incluindo 91 das top 100 companhias listadas na Fortune Global 500. 

No Brasil, o SAS está presente desde 1996 com escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.