VIRADA

Por dentro do Lopes Labs

07/12/2021 13:25

Gigante do setor imobiliário alterou totalmente a sua forma de trabalhar com tecnologia.

Joaquim Torres.

Tamanho da fonte: -A+A

A Lopes, uma das maiores empresas do setor imobiliário do Brasil, deu uma virada na sua visão de tecnologia, apostando no Lopes Labs, uma área de inovação estruturada para desenvolver internamente os projetos da empresa.

Até o final de 2019, o grupo ainda tinha um time tradicional de TI, apostando em terceirizações para atender a maior parte da demanda.

Foi quando a empresa captou R$ 147 milhões em um follow-on na bolsa de valores, colocando parte do novo capital numa reestruturação da equipe.

Em agosto do ano passado, o chamado Lopes Labs já contava com cerca de 60 pessoas e entrou em uma nova fase com a contratação de Joaquim Torres, ex-Gympass e Locaweb, para comandar a estrutura.

“O time estava bem montado, mas bastante orientado a produtos específicos. Tinha um time de portal, um de site, um de CRM e um de aplicativo. Então acabamos fazendo uma reestruturação para ficar com foco no objetivo principal, que é o tri-match entre cliente, imóvel e corretor”, conta Torres.

Hoje, a equipe conta com 120 pessoas espalhadas pelo país e está organizada em três times principais (conhecidos como tribes no jargão da metodologia ágil).

Um deles é focado no cliente final, outro em quem está vendendo o imóvel (incorporadora e proprietários) e um terceiro, no corretor e nas franquias.

A tribo voltada ao cliente final é dividida em três squads: uma de growth, uma de descoberta e outra de busca.

O time especializado em incorporadoras e proprietários também possui três subdivisões: incorporadores, proprietários e automações. 

Já a tribo focada em franquias e corretores tem duas squads, uma focada na produtividade do corretor e da franquia e outra em gestão e geração de leads. 

O Lopes Labs ainda conta com uma quarta tribo voltada aos sistemas centrais, como aqueles de cadastro de corretor, geração e gestão do contrato.

Nos times, estão desenvolvedores, designers UX, product managers, cientistas de dados, engenheiros de dados e profissionais de marketing digital. Em cada squad, estão basicamente três, quatro ou cinco pessoas de engenharia, uma de design e um product manager.

“A gente fez um mix que inclui pessoas com muito conhecimento de tecnologia e com bastante conhecimento de mercado imobiliário também para poder pegar o melhor dos dois mundos”, conta o diretor executivo de digital da Lopes.

Para auxiliar no trabalho de todas essas equipes, a empresa também construiu um time de dados.

“O potencial que eu vi aqui dentro é a base enorme de dados, a gente até brinca e chama de playground de dados. No último trimestre, por exemplo, vendemos e financiamos mais de 10 mil casas. É um volume enorme que gera muita informação, muito insight e, assim, conseguimos entregar mais valor”, explica o executivo.

O primeiro grande projeto do Lopes Labs foi o novo site da companhia, lançado em julho do ano passado. Com a nova plataforma, o portal alcançou 1 milhão de sessões em março de 2021, alta de 230% em comparação com o ano anterior.

Também lançada em meados do ano passado, uma calculadora de potencial de compra para o cliente final foi criada pela equipe.

Através de algumas perguntas relativas à renda mensal, ao possível valor de entrada e ao tamanho da parcela que a pessoa está disposta a pagar, a ferramenta calcula o potencial de compra daquele cliente para um lançamento ou um imóvel pronto.

Caso o usuário esteja interessado em saber mais, pode deixar alguns dados e um corretor entra em contato — já sabendo desse potencial para apresentar opções que façam sentido para aquela pessoa.

Outro projeto da equipe foi a chamada Oferta Ativa Inteligente, criada no ano passado e colocada em piloto no primeiro trimestre de 2021 para os corretores.

Na prática, sempre que a empresa tem o lançamento de um novo imóvel, a equipe olha para a base com nove milhões de clientes, faz um corte e começa a ativá-la com o envio de mensagens via SMS, WhatsApp, e-mail ou mesmo ligação para avisar sobre a novidade.

Através da inteligência de dados, agora é realizada uma segmentação mais certeira e um corte do horário certo para ativar menos a base e conseguir mais resultados.

Com isso, a taxa de interesse dobrou de 15% para 30% dos contatos realizados e as vendas através da ferramenta aumentaram em 50%.

Entre maio e junho deste ano, também foi lançada uma solução que utiliza algoritmos para entregar ofertas similares às que as pessoas estão buscando no site da consultoria de imóveis. Com ela, a taxa de cliques aumentou em 106% e a de leads gerados, em 20%.

Mais recentemente, a empresa lançou a ferramenta Lopes Avalia, na qual o proprietário insere os dados de um imóvel e recebe uma avaliação com o preço estimado para conseguir vendê-lo em um bom prazo.

Para isso, o time pegou a base de transações imobiliárias e de financiamento da Lopes e criou um algoritmo baseado nessa massa de dados.

Em outro projeto, a companhia adotou uma solução de automação robótica de processos (RPA, na sigla em inglês) para puxar as informações do CRM das incorporadoras para  dentro do seu sistema.

“Antes era um processo super manual. Tinha que entrar no sistema deles, baixar os dados, baixar a planilha, importar do nosso sistema, às vezes tinha que fazer imput manual. Agora, a gente pega essa tabela de preços assim que ela é publicada e o espelho de venda e os leads são atualizados em tempo real”, conta Torres.

Como resultado das mudanças implantadas, a Lopes registrou um faturamento de R$ 59,3 milhões no segundo trimestre deste ano, alta de 80% em comparação ao mesmo período de 2020. O lucro líquido cresceu ainda mais, 729%, chegando a R$ 15,9 milhões.

Em 2021, a companhia projeta participar de lançamentos que, somados, atingem um Valor Geral de Venda (VGV) de R$ 7,4 bilhões.

Fundada em 1935, a Lopes desenvolveu um sistema de franqueados e hoje possui mais de 100 lojas próprias e franquias em 10 estados brasileiros, com mais de 9 mil corretores associados e 265 mil imóveis à venda em seu portfólio.

Veja também

CARREIRA
Logicalis tem novo CTO

Kan Wakabayashi vem da Sabesp, onde era o CIO.

STARTUPS
Romero Rodrigues cria nova gestora de venture capital

O cofundador do Buscapé é sócio da Redpoint eventures, que não vai fazer novos investimentos.

RECEITAS
Fogão da Tramontina aposta em IoT

Tecnologia embarcada no cooktop é da Ayga, startup de Luiz Francisco Gerbase.

DINHEIRAMA
Investimento em startups brasileiras triplica em 2021

Mesmo sem contar dezembro, valor já chega a US$ 8,85 bilhões.

INDÚSTRIA
Braskem desenvolve aplicativos com Microsoft

Aplicações monitoram casos de Covid-19, status de vacinação e organizam trabalho presencial.

VALORES
Nasdaq vai rodar na AWS

Bolsa americana de tecnologia começa a migrar para a nuvem em 2022.