ESPAÇO

Cade gasta em data center próprio

08/01/2020 11:02

Diretriz é migrar para a nuvem, mas nem todo mundo parece estar de acordo em Brasília.

Cade optou por manter o seu data center particular. Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), órgão regulador do mercado do Brasil contratou a Aceco para construir uma sala segura para data center, pelo valor de R$ 3,9 milhões.

O extrato da contratação foi publicado nesta terça-feira, 07, no Diário Oficial da União. O contrato inclui a implantação de uma sala segura, com proteção certificada contra incêndio, gases corrosivos, água, interferência eletromagnética, vandalismo, roubo, explosão, pó e acesso não autorizado.

A Aceco é a maior empresa atuante no país na parte de construção da infraestrutura física do data center. Não se sabe se o Cade irá transferir as máquinas que já tem para o novo local, ou se fará também um upgrade de equipamentos.

Seja como for, o Cade parece ter decidido ir na contramão da orientação geral do governo federal no sentido de fechar data centers de pequeno porte e ganhar escala com compras de computação em nuvem no atacado.

A estratégia de migração para a nuvem é discutida em Brasília desde 2013.

Em 2016, o Ministério do Planejamento orientou os órgãos públicos a não investirem mais em infraestrutura própria, recomendado a contratação de computação em nuvem.

A decisão de migrar para fornecedores privados foi justificada pela padronização tecnológica e a redução de custos por compra em escala.

Um grande passo foi a contratação da Embratel no final de 2018, pelo valor de R$ 29,9 milhões.

A decisão do Cade é mais chamativa porque não parece haver uma justificativa muito óbvia para um órgão com esse perfil investir em uma infraestrutura própria de TI.

O conselho do Cade é composto por sete conselheiros que se reúnem para julgar fusões e aquisições de empresas que possam resultar em monopólio ou outras infrações de mercado.

Durante um período do ano passado o órgão chegou a ficar paralisado pelo atraso na nomeação de conselheiros por parte do executivo.

Veja também

RECUPERAÇÃO
Oi vende prédio por R$ 79 milhões

Compradora é a Universidade do Estado de Santa Catarina.

GOVERNO
Serpro prepara terceirização

Estatal quer subcontratar o “trabalho braçal” em uma série de tecnologias. 

RESPOSTA
China vai banir PCs e softwares estrangeiros

Todos os órgãos públicos deverão cumprir a determinação até 2022.

GOVERNO
Privatizados, Serpro e Dataprev manteriam contratos

Parecer do Tribunal de Contas da União deixa incerteza no médio prazo.

ACATE
Governo de SC busca aproximação com startups

O projeto será colocado em prática no âmbito do LinkLab, programa da Acate.

INOVAÇÃO
RNP leva conexão a parques tecnológicos

Projeto piloto envolve seis parques, todos ligados a universidades federais e ao governo.

GOVERNO
Serpro: adiante com plano de ser cloud broker

Estatal de TI está em busca de provedores de serviços de computação em nuvem.

CATARATAS
Plano de levar data centers para Foz ainda existe

Projeto oriundo do governo Dilma Rousseff faz sua primeira aparição na era Bolsonaro.

NUVEM
Microsoft leva contrato de US$ 10 bilhões do Pentágono

Decepção para a Oracle, que conseguiu derrubar a AWS, mas não levar o cliente.

FRAUDES
Tribunal de Contas do Ceará adota SAS com Sonda

O objetivo é identificar práticas ilegais em órgãos públicos.

EDITAL
Ministério seleciona diretor de governança dos dados

O escolhido ocupará cargo comissionado DAS 101-5, com remuneração de R$ 13.623.