Paulo Schorr, Paulo Magnus e Rodrigo Luchtenberg.

A MV, maior empresa no Brasil no segmento de software de gestão para hospitais, comprou uma participação de porcentagem não revelada na Indyxa, uma companhia catarinense com foco em infraestrutura de TI.

Em nota, a MV explicou o movimento como uma maneira de complementar a oferta de soluções para gestão da informação da companhia, em um momento em que o tema está em foco pela aprovação no Brasil da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). 

Inspirada na européia GDPR, a LGPD faz uma série de exigências sobre segurança de dados dos clientes a serem implementadas até 2020. A MV tem 1,5 mil clientes, o que significa muito compliance a ser cumprido.

“Com expertise para coordenar diversas tecnologias, a Indyxa e suas soluções têm capacidade para prover maior prevenção operacional às instituições de Saúde e independência no que diz respeito a monitoramento de base de dados”, afirma Paulo Magnus, presidente da MV.

A Indyxa foi formada em 2016, a partir da fusão da Teiko, integradora de TI de Blumenau com o carro chefe em tecnologia de banco de dados da Oracle e a OpenUX, companhia da mesma cidade cujo ponto forte é HP. 

Depois, o grupo agregou ainda a carteira de clientes da Quick Soft, outra companhia da cidade parceira da Dell, Microsoft, VMware, Symantec e Oracle.

“Já atendemos clientes MV, mas com pouca expressividade. Agora, teremos maior viabilidade para crescer estabelecendo o compromisso de unir as especialidades de cada empresa para levar aos clientes maior estabilidade e performance”, prevê Paulo Schorr, CEO da Indyxa.

A Indyxa continua operando com sua matriz em Blumenau. Permanecem na sociedade junto com a MV os sócios e fundadores da Indyxa, Paulo Schorr e Rodrigo Luchtenberg, nas posições de CEO e diretor de operações.