Sócios da ContaAzul. Esq: Marcelo dos Santos, José Sardagna, João Zaranite e Vinicius Roveda.Foto: divulgação.

A ContaAzul, startup de Joinville fundada em 2011 para oferta de um sistema de gestão SaaS para micro e pequenas empresas, firmou uma parceria com o UOL Host para vender seu software na loja de  aplicativos da empresa de hospedagem, serviços web e cloud.

O sistema é oferecido na loja virtual desde fevereiro, mês em que a ContaAzul fechou 217 contratos da solução.

O que foi venda própria e o que foi via parceria, a empresa não detalha, mas a solução figura entre as mais vendidas no ranking da loja de apps e a avaliação do CGO da ContaAzul, Marcel dos Santos, permite entender o impulso que a aliança deve dar aos negócios.

“Não há uma meta oficial, mas acredito que este parceiro deva nos trazer um incremento anual de 30% a 40% além de nosso crescimento orgânico”, analisa ele.

Já Vinicius Roveda, CEO da ContaAzul, destaca o fator pioneirismo: “somos o primeiro aplicativo de gestão SaaS a ser distribuído pelo UOL Host”, garante.

Com isso, Roveda espera ampliar ainda mais a visibilidade da solução, que tem crescido a uma média mensal de cinco mil usuários do trial (versão gratuita disponível por 15 dias), mais de 200 contratos fechados por mês, com mercado potencial avaliado em nove milhões de empresas até 2015 só no Brasil.

Desde o início das operações, mais de dez mil novas empresas já começaram a usar o sistema.

“Estudamos e compreendemos as demandas de micro e pequenas empresas para um sistema de gestão, e entregamos apenas isso. Temos contratos com negócios de usuário individual até companhias de faturamento anual na casa dos R$ 30 milhões, e para nenhuma foi preciso treinamento. É um software mais fácil de usar do que uma planilha”, garante Santos.

CONCORRÊNCIA
O CGO brinca que como concorrentes diretos a ContaAzul tem dois gigantes: Microsoft, com o Excell, e a Tilibra.

“A maioria das empresas pequenas ainda trabalha sua gestão na base do papel e caneta. Dá para mudar isso: oferecemos um recurso de TI que é simples, barato, e que em cinco a dez minutos de instalado já torna possível emitir uma nota fiscal”, ressalta ele.

O barato se traduz em planos com mensalidades entre R$19,90 e R$195.

Santos fala com a experiência de quem foi diretor de Marketing da Datasul, passou para a mesma função na Totvs quando esta adquiriu a companhia anterior, e em fevereiro de 2012 foi para a FolhaMatic, especializada em software para a área contábil, de onde saiu em janeiro deste ano para se associar à ContaAzul.

Para ele, conhecer o mercado de ERP para grandes companhias é importante para saber do que as pequenas não precisam e, assim, criar uma solução que seja realmente adequada a elas.

“Nosso software não tem, por exemplo, rotinas de produção. Nosso cliente não precisa disso. Mas controlar estoque, vendas, financeiro, e atender a normas de Nota Fiscal de Serviços de mais de 300 prefeituras, isso tudo ele pode”, afirma o CGO.

E pode também a partir de dispositivos móveis, já que o ContaAzul tem versão para smartphones e tablets de plataformas Apple e Android.

VINDO POR AÍ
Santos não abre nomes, mas afirma que novas alianças vão surgir nos próximos meses, com foco em integração.

Por hora, estão em andamento testes com três escritórios de Joinville, que avaliam integração do ContaAzul com seus softwares de contabilidade.

Ainda este ano, o plano é oferecer este tipo de recurso no pacote do sistema.

A EMPRESA
A ContaAzul foi a primeira startup brasileira selecionada pela 500Startups, aceleradora de negócios do Vale do Silício, onde foi instruída por mentores de organizações como Facebook e outras deste calibre para desenvolver seu software.

Depois da incubação por quatro meses na aceleradora, a startup atraiu investimentos da Monashees Capital, Ribbit Capital, 500Startups e Napkn Ventures, além de ser premiada como melhor aplicativo web brasileiro pela The Next Web (publicação Europeia sobre startups) em 2012.

Por conta dos investidores, a ContaAzul não abre valor de faturamento ou taxa de crescimento, mas, pelo que conta Santos, não é segredo que está indo tudo muito bem.

“No ano passado crescemos pelo menos 15% acima do previsto”, finaliza o CGO.