E-COMMERCE

Webmotors compra BuscaCarros

08/04/2016 13:53

Webmotors é pioneira em venda de carros online. Foto: Shutterstock

Tamanho da fonte: -A+A

A Webmotors, um dos maiores sites de e-commerce de carros do Brasil, comprou o BuscaCarros, empresa do Grupo RBS que abriga sete portais do tipo em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul.

Não foram revelados valores. Com a compra, a Webmotors leva os sites Poacarros.com, Floripacarros.com.br, Blucarros.com.br, Joinvillecarros.com.br, Criciumacarros.com.br, Itajaicarros.com.br e Riodosulcarros.com.br

Em conjunto, os sites do BuscaCarros reúnem mais de 40 mil ofertas de compra e venda de carros e motos, e recebem cerca de 1,5 milhão de visitas por mês. Os anúncios são feitos por mais de 3 mil clientes ativos, entre revendas e particulares.

“Além de ampliar nossa presença local, o BuscaCarros nos agrega conhecimento sobre um modelo de negócios regionalizado, que funciona muito bem nas cidades onde os portais concentram sua atuação”, afirma Rodrigo Borer, CEO da Webmotors.

A Webmotors foi fundada em 1995 e é pioneira em comércio eletrônico de veículos no Brasil. O portal, que tem entre seus principais controladores o banco Santander, tem cerca de 30 milhões de visitas mensais.

Em abril de 2013, o grupo australiano Carsales, maior website de classificados e serviços para autos da Oceania e um dos principais do mundo, adquiriu, por R$ 180 milhões, 30% do capital acionário do WebMotors.

O negócio é mais um passo na saída do Grupo RBS do negócio de "classificados digitais".

Em 2014, o grupo de comunicação gaúcho vendeu o portal de venda de imóveis Pense Imóveis para o Zap Imóveis, braço de vendas imobiliárias do Grupo Globo.

O Pense Empregos, site criado em parceria pela RBS e Catho em 2011, foi desativado no mesmo ano.

Em janeiro de 2016 a RBS vendeu o Hagah, portal de anúncios para estabelecimentos e prestadores de serviços criado em 2004 para Reweb, uma agência digital de Porto Alegre.

“Em quatro anos, transformamos um startup em um negócio rentável e de sucesso. Esse movimento se conecta à estratégia de negócios da e.Bricks Digital, de investir em empresas de crescimento e depois vendê-las, gerando bons negócios no mercado com players mundiais”, explica  o diretor de Classificados Digitais, Silvio Frison.  

Segundo fontes ouvidas pelo Baguete, o grupo de comunicação gaúcho estava dividido entre colocar suas fichas no negócio online e o risco de canibalizar os anúncios classificados dos jornais, ainda uma fonte importante de receita.

A venda do BuscaCarros é parte de uma movimentação mais ampla da RBS em capitalizar e reestruturar os investimentos feitos no meio digital nos últimos anos.

Em outubro do ano passado, a empresa vendeu os 60% de participação do e.Bricks, fundo de investimentos da RBS, na Pontomobi, empresa especializada em mobile marketing, dessa vez para a Dentsu Aegis Network.

No ano passado, a RBS também decidiu fechar o sua operação de pesquisa e desenvolvimento no Tecnopuc, parque tecnológico da PUC-RS em Porto Alegre.

As reformulações não ficam só em novos negócios. Neste ano, a companhia vendeu todas suas operações de rádio, jornal e televisão em Santa Catarina para um grupo de investidores liderado por Lírio Parisotto e Carlos Sanchez. Não há informações oficiais, mas o negócio é estimado no mercado em R$ 1 bilhão.

Veja também

BACK-END
VTEX lança serviços para desenvolvimento

A plataforma de e-commerce lançou o VTEX Open API e o VTEX Master Data. 

DIGITAIS
WPP compra 3yz

Fundada em 2008, a 3yz tem na carteira clientes como Tramontina, Grupo RBS, Grendene e Shoppings Iguatemi e Reebok.

ESTRATÉGIA
Ex-Google entra na liderança da Hands

Nelson Mattos, ex-Google e IBM, é novo membro do conselho administrativo da companhia.

AMÉRICA LATINA
Midway Labs: logística com Netshoes

O acordo foi firmado para os próximos 5 anos.

OPERADORAS
Fast Shop tem marketplace de planos

Os consumidores tem opções das operadoras Claro, Vivo, Tim e Nextel.

ENTREGAS
Rapiddo e 99Motos anunciam fusão

Empresas tem a meta de ultrapassar 150 mil entregas por mês, com operações no Brasil e Colômbia.